Braga,

Marítimo volta a vencer seis jornadas depois

Desporto

15 Junho 2020

Redação

O Marítimo voltou hoje aos triunfos, graças a uma reviravolta ainda na primeira parte, vencendo por 2-1 na receção ao Gil Vicente, em partida inaugural da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O Marítimo voltou hoje aos triunfos, graças a uma reviravolta ainda na primeira parte, vencendo por 2-1 na receção ao Gil Vicente, em partida inaugural da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Os golos do jogo surgiram na primeira parte. A formação gilista adiantou-se graças a Kraev, aos oito minutos, mas viu Rodrigo Pinho (30) e um autogolo do defesa Rodrigão (45+3) virar o resultado, desperdiçando a possibilidade de empatar aos 85, através de uma grande penalidade convertida por Sandro Lima e que Charles defendeu.

Os madeirenses colocaram um ponto final numa série de cinco jogos sem vencer e passam a somar 28 pontos, oito acima da zona de despromoção, mantendo a 15.ª posição. Já a formação de Barcelos leva três desaires consecutivos nos três jogos após a retoma do campeonato, suspenso pela pandemia de covid-19, e continua com 30 pontos.

Nos instantes iniciais, em que as equipas procuravam começar a impor o seu jogo, os visitantes inauguraram o marcador aos oito minutos, quando o internacional búlgaro Kraev aproveitou um corte incompleto de René Santos e uma falha de comunicação dos jogadores do Marítimo para apontar o seu quinto golo na Liga através de um remate colocado.

Os madeirenses conseguiram reagir e, entre os 16 e os 18 minutos, ameaçaram a baliza adversária por três vezes, sempre sem sucesso, nas duas tentativas de Correa e uma de Xadas.

A falta de sorte maritimista foi quebrada à meia hora de jogo por Rodrigo Pinho, que estava no sítio certo para empatar, de recarga, após defesa de Denis ao cabeceamento de Joel Tagueu.

O Marítimo continuou por cima da partida e a dar trabalho a Denis, embora o guardião brasileiro apanhasse um susto no remate de Rodrigo Pinho, aos 39 minutos, pois, mesmo defendendo, viu a bola passar muito perto do poste.

A reviravolta acabou mesmo por acontecer no terceiro e último minuto de compensação da primeira parte, na sequência de um canto de Xadas, em que Denis desviou, mas a bola embateu em Rodrigão, tendo o defesa-central do Gil Vicente acabado por fazer autogolo.

Mesmo em vantagem, o Marítimo entrou no segundo tempo com o 'pé ainda no acelerador' e viu o guarda-redes gilista levar a melhor sobre Joel por duas vezes, aos 50 e 56 minutos, em jogadas bem construídas por Xadas e Correa.

À medida que o jogo se foi aproximando do fim, passou a ser mais jogado no meio-campo ‘verde rubro’, mas o Gil revelou sérias dificuldades em transpor a organização da equipa madeirense, que procurava também uma transição rápida para tentar selar a partida.

A única oportunidade dos pupilos de Vítor Oliveira na segunda parte foi uma grande penalidade, assinalada por João Bento aos 84 minutos, por falta de Charles sobre Sandro Lima, mas o guarda-redes do Marítimo travou o ‘castigo máximo’ do avançado gilista com as pernas.

Os insulares conseguiram segurar a vantagem mínima e, após o apito final, dedicaram a vitória ao jogador Rúben Ferreira, que sofreu uma rutura do tendão de Aquiles na ronda anterior (derrota por 1-0 com FC Porto) e será operado na terça-feira, devendo falhar o resto da temporada.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho