Braga, sábado

Medidas sociais respondem às necessidades dos vimaranenses

Regional

18 Abril 2020

Redação

Câmara Municipal de Guimarães avançou com um vasto pacote de medidas sociais para apoiar as famílias e as empresas afectadas pela crise causada pela pandemia Covid-19.

Em Guimarães estão já em prática várias medidas de apoio social com o objectivo de ajudar os vimaranenses que estão a ser mais afectados pela crise causada pela pandemia Covid-19. O Município liderado por Domingos Bragança acompanha o desenrolar da situação, com o edil a garantir que “não foram impostos limites financeiros para apoiar as pessoas nesta pandemia”.

Neste concelho, o apoio social contempla inúmeros benefícios, como por exemplo no consumo de água, no apoio psicológico, no reforço do orçamento para a protecção civil ou na criação de uma gabinete para apoio ao tecido industrial e empresarial. Envolve ainda uma vasta rede que, com o envolvimento de Juntas de Freguesia e de muitos voluntários, tem permitido chegar a todo território concelhio concretamente aos que mais precisam, referiu o presidente da autarquia, Domingos Bragança, em entrevista à rádio Antena Minho/jornal Correio do Minho, conduzida pelo director destes órgãos de informação, Paulo Monteiro.

A nível do consumo de água, regista-se o apoio a cerca de 10 mil famílias no concelho sobre a tarifa social do consumo de água de não pagamento nos primeiros cinco metros cúbicos.

As famílias que têm os seus rendimentos reduzidos, neste período de emergência nacional, beneficiam da tarifa social da água, desde que reúnam as respectivas condições, devendo apresentar requerimento para esse efeito junto da Câmara Municipal ou da Vimágua. A Rede de Apoio Psicológico também se revelou “muito necessária”, sobretudo para responder a quem está a ter dificuldade de lidar com o isolamento social, e com as consequências desse isolamento como o aumento da ansiedade e do stress. Mantém-se igualmente o apoio às famílias com carências económicas, concretamente a nível de alimentação e apoio ao pagamento das rendas. A autarquia mantém o fornecimento de refeições para os alunos de Escalão A do pré-escolar e 1º ciclo que o solicitem, com entrega por take-away, existindo condições para o fazer a todos os alunos do Escalão A ou outros que comprovadamente revelem esta necessidade.

Domingos Bragança louva ainda o trabalho que está a ser desenvolvido pela Rede Social através das Comissões Inter-Freguesias, realçando a disponibilidade dos voluntários para ajudar os que mais precisam. Aqui deixou uma palavra especial para os presidentes de Junta de Freguesia que, pela proximidade às populações, “estão a atender às necessidades das pessoas”.

Do vasto leque de medidas, o edil salientou também que, perante a pandemia, a autarquia também reforçou em um milhão de euros o orçamento da Protecção Civil. Reforço que visa financiar o apoio que tem sido e continuará a ser prestado a inúmeros estabelecimentos de saúde, freguesias, instituições e munícipes para prevenção e pro- tecção, nomeadamente com transporte, alimentação e aquisição de material profiláctico (luvas, máscaras, batas, material de desinfecção e ventiladores).

A pensar nas empresas, e além de isenções para os estabelecimentos que tiveram de fechar portas, a autarquia criou um gabinete de informação e apoio às entidades que pretendam candidatar-se aos apoios disponibilizados pelo Governo, designadamente nas áreas da Cultura e do Turismo.

“O que nós temos feito é muitas pequenas coisas para ajudar. Para as empresas, as grandes medidas são as definidas pelo Governo. Agora, nós tentamos é complementar essas medidas”, explicou Domingos Bragança, destacando aqui a criação do Gabinete de Crise e da Transição Económica, uma das medidas mais importantes no contexto actual e num contexto pós-pandemia.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho