Braga, quarta-feira

Mês de janeiro foi seco e o 4.º mais frio dos últimos 20 anos

Nacional

11 Fevereiro 2021

Lusa

O mês de janeiro foi seco e o 4.º mais frio dos últimos 20 anos, com temperaturas inferiores ao normal, que poderá ter tido impacto na população, em particular na saúde, segundo o IPMA.

Dados do último Boletim Climático de Portugal Continental disponível hoje no ‘site’ do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) indicam que janeiro foi o 4.º ano mais frio dos últimos 20 anos com uma temperatura média do ar de 8,02 graus Celsius, - 0,79 graus em relação à normal 1971-2000 (valor mais baixo em 2006 com 7,65 graus).
 

O valor médio de temperatura máxima, 12,31 graus, foi o 4.º mais baixo desde 2000 com um desvio de -0,78 graus em relação à normal (valor mais baixo em 2009 com 11,40 graus). Na temperatura mínima, o valor médio, 3,73 graus, também foi inferior à normal (- 0,81 graus).
 

O menor valor da temperatura mínima foi registado no dia 11 em Miranda do Douro, Bragança (-8,7 graus) e o maior valor em Alcoutim, em Faro, no dia 28 (22,4 graus).
 

Segundo o relatório, as três primeiras semanas de janeiro foram extremamente frias com valores da temperatura máxima e mínima do ar muito inferiores ao valor da normal climatológica 1971-2000.
 

O instituto precisa que este episódio de frio foi caracterizado pelo “seu caráter prolongado (três semanas), persistência de vários dias consecutivos com temperaturas negativas (mais de 10 dias consecutivos em 1/3 das estações), em particular nas regiões norte e centro.
 

As três primeiras semanas de janeiro foram igualmente caracterizadas pelo desconforto térmico associado às baixas temperaturas (em alguns dias potenciado pela intensidade do vento) e abrangência territorial.
 

“Todos estes aspetos tiveram importância nos possíveis impactos que terá tido na população, em particular na saúde”, é destacado.
 

De acordo com o IPMA, embora se tenha registado a ocorrência de onda de frio, esta foi relativamente localizada e em cerca de 10% das estações meteorológicas.
 

Em relação à temperatura mínima e até dia 11 foram várias as estações a registarem noites frias sendo de realçar Montalegre (Bragança), Penhas Douradas e Portalegre com 6, 10 e 11 noites consecutivas, respetivamente.
 

Ao nível do território, o dia 09 de janeiro foi o dia mais frio neste período, com 2,98 graus Celsius de temperatura média, sendo de referir ainda os dias 05, 06 e 08, com valores médios de temperatura média inferiores a 04 graus.
 

A partir de dia 20, refere o IPMA, verificou-se uma subida de temperatura (para valores acima do normal) tendo terminado a situação de frio prolongado que se verificava em Portugal continental.
 

No que diz respeito à precipitação em janeiro, o valor médio da quantidade, 90,8 milímetros, corresponde a 77 % do valor normal 1971-2000. Até dia 20 não se verificou a ocorrência de precipitação em quase todo o território.
 

O Boletim indica ainda que no final de janeiro verificou-se o aparecimento da classe de seca fraca em alguns locais do Baixo Alentejo e Algarve, devido aos baixos valores de precipitação que ocorreram nessas regiões durante o mês.
 

No final de janeiro, 61,9% de Portugal continental estava em situação de seca normal, 25,6% em chuva fraca e 12% em seca fraca.
 

Segundo o relatório anterior, no final de dezembro 50,4% do território estava em situação de chuva fraca, 49,1% normal e 0,5% em chuva moderada.
 

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

Deixa o teu comentário