Mitigar violência verbal é prioridade do mandato

Desporto

09 Julho 2024

Rui Serapicos Rui Serapicos

Presidente da AF Braga Manuel Machado apontou ontem, na tomada de posse para o próximo mandato de quatro anos, como prioridade o ataque à violência verbal.

Ao tomar ontem posse como presidente reeleito da direcção da AF Braga, Manuel Machado afirmou a prioridade de avançar acções de sensibilização para mitigar a violência verbal nos escalões jovens.

“Não vamos resolver a situação, mas temos essa responsabilidade social”, adiantou.

Apontando críticas aos “pais de miúdos que dirigem palavras desagradáveis a outros miúdos”, preconizou que aquelas acções comecem em dirigentes e técnicos que devem “dar exemplo de bons comportamentos”.

Manuel Machado tinha, antes, realçado as iniciativas que já no mandato anterior a AF Braga levou a efeito, para “humanização da arbitragem”.

Lembrando que tomou posse um conselho de arbitragem, com uma composição renovada agora liderado por Domingos Sousa Gomes (ver coluna ao lado), vincou a ideia de “quão difícil é a arbitragem”.

Apontou como evidências disso que um juiz de uma partida tem de decidir no momento e as decisões podem levar a debates e até com antigos árbitros em desacordo de análise, que nos meios de comunicação por vezes duram uma semana.

Continuar a crescer em número de atletas, fomentar o walking football e o futebol adaptado, bem como a aposta no futebol feminino são outras metas que Manuel Machado afirmou.

Na sessão, em que marcaram presença Hélder Postiga a representar a Federação Portuguesa de Futebol e Vasco Pinto em nome da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, o presidente da AF Braga assumiu ainda como propósitos para os próximos quatro anos qualificar o futebol com a continuação da aposta na formação de dirigentes, árbitros e treinadores, bem como com a certificação de clubes.

Tendo em 2023/24 registado 94 clubes certificados, este é um número que considerou ainda “longe do objectivo”.

Neste âmbito, admitiu haver dificuldades no futsal, indicando que deverá em breve avançar uma conversa com o vice-presidente que tutela este pelouro.

O estímulo à carreira dual, com apoios aos estudantes, é outra ideia que o reeleito presidente da direcção acentuou, apontando como exemplo o caso da árbitra Tânia Patrão, presente na sessão, que manteve a sua actividade enquanto fez a formação em Medicina.

Manuel Machado vincou, no início da sua intervenção, o facto de a AF Braga ter em 2023/24 seis clubes na I Liga. “Agora só já são cinco mas faço votos que o FC. Vizela volte rapidamente à I Liga”, afirmou.

A concluir, elogiou a “grande resiliência” de dirigentes, jogadores e treinadores pela forma como superaram o período de Covid/19, tendo já ultrapassado o número de praticantes anteriores à pandemia.

Deixa o teu comentário