Braga, sexta-feira

Mosteiro de S. Miguel de Refojos foi finalista em duas categorias

Regional

09 Julho 2021

Redação

Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2021 teve como finalista nomeado em duas categorias o mítico Mosteiro de S. Miguel de Refojos, em Cabeceiras de Basto, motivo de orgulho para a autarquia.

A Câmara Municipal de Cabeceiras de Basto afirmou-se orgulhosa de ver a Recuperação e Reabilitação do Mosteiro de S. Miguel de Refojos finalista do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2021.
A candidatura, apresentada pelos projectistas Paulo Freitas e Maria João Marques, responsáveis pelas intervenções que têm decorrido nos últimos anos no Mosteiro de S. Miguel de Refojos, foi uma das três finalistas na categoria Melhor Reabilitação Estrutural e uma das quatro finalistas na categoria Melhor Intervenção de Impacto Social.

O Prémio Nacional de Reabilitação Urbana é uma iniciativa que conta com o Alto Patrocínio do Governo da República Portuguesa, através da Direcção-Geral do Património Cultural, e contando com o apoio de diversas empresas.

Em 2021 concorreram 87 projectos, oriundos de 23 concelhos de norte a sul do país, avaliados pelo júri constituído por académicos de várias áreas, arquitectos, engenheiros, dirigentes de várias organizações ligadas à construção e reabilitação e, ainda, por personalidades de reconhecido mérito e excelência.

A candidatura do Mosteiro de S. Miguel de Refojos incluiu os projectos de recuperação do rés--do-chão do edifício dos Paços do Concelho - entrada, tesouraria e SAU/Espaço do Cidadão -, a reabilitação das coberturas e fachadas do Mosteiro e da Igreja, o restauro da antiga livraria e do antigo refeitório (ex-auditório Ilídio dos Santos).

“A Câmara Municipal congratula-se com a distinção e felicita os arquitectos Paulo Freitas e Maria João Marques, autores dos projectos de restauro e reabilitação que mereceram o reconhecimento do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2021, através das nomeações, sempre muito meritórias e honrosas, para Melhor Reabilitação Estrutural e Melhor Intervenção de Impacto Social”, pode ler-se no comunicado enviado pela autarquia à comunicação social.

O Prémio de Melhor Reabilitação Estrutural foi atribuído à reabilitação do edifício Castilho 203, em Lisboa, e o Prémio Melhor Intervenção de Impacto Social foi ganho pela recuperação das Termas Romanas de S. Pedro do Sul.

Deixa o teu comentário