Braga, sexta-feira

MP/Braga acusa agente de execução de ficar com dinheiro de penhora

Regional

19 Outubro 2020

Redação

O Ministério Público (MP) de Braga acusou de peculato um agente de execução que terá ficado com 2.178 euros referentes a uma penhora que efetuou, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

O Ministério Público (MP) de Braga acusou de peculato um agente de execução que terá ficado com 2.178 euros referentes a uma penhora que efetuou, anunciou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

Em nota publicada na sua página, aquela procuradoria refere que o MP considerou indiciado que o arguido, exercendo as funções de agente de execução num processo que começou por correr termos no Tribunal Judicial de Cabeceiras de Basto, procedeu à penhora do salário auferido pela executada nesse processo.

Por via dessa penhora, o arguido recebeu da entidade patronal, entre 30 de abril de 2008 e 27 de março de 2014, o montante global de 2.178 euros.

“Ao invés de o afetar ao pagamento da quantia exequenda e das custas, como estava obrigado, fez seu o referido montante, gastando-o como lhe aprouve”, remata a nota.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho