Braga, segunda-feira

Município de Braga assegura refeições e acolhimento a alunos

Regional

26 Janeiro 2021

Redação

O município de Braga mantém o apoio alimentar aos alunos beneficiários dos escalões A e B e a todos os outros que, justificadamente, necessitem deste apoio, tendo já servido 81 refeições desde que as escolas encerraram, na sexta-feira.

O município de Braga mantém o apoio alimentar aos alunos beneficiários dos escalões A e B e a todos os outros que, justificadamente, necessitem deste apoio, tendo já servido 81 refeições desde que as escolas encerraram, na sexta-feira.

Fonte do município disse hoje à Lusa que as refeições são disponibilizadas em regime de ‘take-away’.

A par do apoio alimentar, a autarquia assegura igualmente o acolhimento e acompanhamento dos alunos cujos pais e encarregados de educação trabalhem em serviços considerados essenciais, designadamente saúde, serviços de segurança e socorro, forças armadas, profissionais de gestão e manutenção de infraestruturas essenciais.

A fonte adiantou que há 24 crianças a beneficiar do serviço de acolhimento nas escolas do concelho, sendo este assegurado pelos agrupamentos de escola.

Estas medidas surgem na sequência da suspensão das atividades letivas dos estabelecimentos de ensino, na sexta-feira, decretada pelo Governo no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

No concelho de Braga, são 13 as escolas que asseguram aquelas respostas, designadamente a Secundária Alberto Sampaio, as básicas do Fujacal, Gualtar, Lamaçães, Braga Oeste, Celeirós, Frei Caetano Brandão, Mosteiro e Cávado, Real, Trigal de Santa Maria, Dr. Francisco Sanches e Palmeira e o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.140.687 mortos resultantes de mais de 99,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 11.012 pessoas dos 653.878 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário