Braga, sábado

Municípios unidos para revitalizar Caminho Minhoto Ribeiro

Regional

15 Dezembro 2020

Redação

A Secretária de Estado do Turismo deixou, ontem, em Melgaço, o compromisso de analisar o projecto de certificação do Caminho Minhoto Ribeiro - que une seis municípios minhotos até à Galiza.

Está dado o primeiro passo dado para a certificação e consequente recuperação do ‘Caminho Minhoto Ribeiro’, tido como um dos mais antigos Caminhos de Santiago de Compostela, partindo de Braga e passando por Vila Verde, Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Monção, Melgaço e seguindo depois Galiza acima. A secretária-de-Estado do Turismo, Rita Marques, presidiu, ontem, à assinatura do protocolo entre os seis municípios portugueses com vista à reactivação e promoção desta rota pelo interior da região minhota.

Porque a ‘união faz a força’, os seis municípios minhotos apontam para as inúmeras “vantagens” que a recuperação do antigo ‘Caminho Minhoto Ribeiro’ trará para os seus territórios do ponto de vista turístico, religioso e cultural. O presidente da Câmara de Melgaço, Manoel Batista, disse mesmo que ontem foi “um dia histórico” para o concelho, com a aposta centrada agora na potenciação do termalismo, que vem reforçar a sua oferta enquanto destino de Natureza “mais radical” quer no rio, quer na montanha e durante todo o ano.

Manoel Baptista indica que a gestão autárquica tem que ser feita também, cada vez mais, “em equipa” e que é isso mesmo e em prol do desenvolvimento de todo o território minhoto interior que se pretende com a recuperação do ‘Caminho Minhoto Ribeiro’ - mas que conta também com um importante trabalho do lado de lá, através da Junta da Galiza e do Turismo da Galiza - que está igualmente vertido neste projecto. “A cooperação entre os dois territórios é i nosso destino, mas temos que ser mais ambiciosos e ainda mais activos”, apelou.

Frisando que os Caminhos de Santiago são “um pilar da nossa identidade colectiva”, o autarca de Melgaço apontou para a sua “importância extraordinária” do ponto de vista histórico, cultural, social e económico, apontando para o seu crescimento gigante nos últimos anos, que, a seu ver, deve ser ainda mais potenciado no futuro. É isso mesmo que se prevê com o protocolo ontem assinado pelos seis municípios portugueses, que se comprometeram a trabalhar com vista à certificação, sinalética e manutenção desta ancestral rota de ligação entre Braga e Santiago de Compostela.

Recordando os 350 mil peregrinos que em 2019 se estima que tenham percorrido os Caminhos de Santiago por via do lado português, a secretária-de-Estado do Turismo destacou os elementos diferenciadores desta rota do ‘Caminho Minhoto Ribeiro’ possui e que são ‘a espinha dorsal’ do Minho Interior: a Natureza, o Termalismo e o Vinho Verde. Rita Marques deixou o “compromisso” da parte do goeverno em promover a certificação da rota, até porque 2021 será Ano Jacobeu e deixou ainda o repto aos municípios para prepararem as suas candidaturas para o próximo programa ‘Valorizar’, que será lançado em breve.

Deixa o teu comentário