Braga, quinta-feira

Museu dos Biscainhos mantém oferta online e convida público a visitar nova exposição

Regional

22 Fevereiro 2021

Marta Amaral Caldeira

A exposição virtual Um olhar pela faiança do Barroco é inaugurada hoje nas redes sociais do Museu dos Biscainhos, que convida o público a descobrir todos os pormenores de que era feito o quotidiano dos aristocratas do período Barroco em Braga.

É com um olhar especial sobre as peças essenciais que faziam o quotidiano da aristocracia do séc. XVIII, muito influenciada pela moda da Europa de então, que o Museu dos Biscainhos convida o público para uma revisitação à época barroca, através de uma exposição virtual ‘Um olhar pela faiança do Barroco’. A mostra é inaugurada e disponibilizada hoje, a partir das redes sociais do museu do Facebook e Instagram.

Isabel Silva, directora do Museu dos Biscainhos, diz que a produção de conteúdos para as redes sociais, como é o caso desta exposição, com vista a divulgar o espólio do museu e outras actividades lúdicas que dinamiza, mesmo online, “é uma forma de manter o elo afectivo e o contacto com o público”.

“Tentamos suprir esta ausência da relação directa com o público e vamos escolhendo pequenos temas que nos parecem ir ao encontro da curiosidade e do gosto das pessoas e que tenham haver com a identidade do museu”, indicou Isabel Silva, referindo que esta exposição ‘Um Olhar pela Faiança do Barroco’ tem precisamente esse propósito de mostrar ao público de uma forma mais pormenorizada o espólio que o Museu dos Biscainhos conserva, em termos do património do período do Barroco.

“Procuramos mostrar um pouco do gosto da época da aristocracia citadina que tinha contacto privilegiado com a Europa e uma mundividência alargada para o seu tempo e também a disponibilidade financeira para dispor dos recursos e dos bens considerados ‘à moda’”, detalhou a directora dos Biscainhos.

“No fundo, esta mostra virtual dá uma visão do quotidiano das pessoas que habitaram o Palácio dos Biscainhos e a cidade no séc. XVIII, dando assim a conhecer o gosto e alguns costumes que espelham a cultura da época. É sempre uma forma de as pessoas se deterem até num olhar mais pormenorizado”, convida a Isabel Silva.

Deixa o teu comentário