Braga, sábado

Nasceu a primeira Estrutura de Emergência da Cruz Vermelha

Regional

07 Dezembro 2020

Redação

São doze os socorristas que integram esta estrutura operacional, a primeira da cidade-berço. A cerimónia de juramento teve lugar na data em que se assinalou o Dia Internacional do Voluntariado.

As principais artérias do concelho de Terras de Bouro já estão decoradas com iluminação natalícia e outros motivos decorativos alusivos à quadra.


A inauguração da iluminação teve lugar no final do dia do passado sábado, primeiro na vila de Terras de Bouro e, um pouco mais tarde, na vila do Gerês.


São doze os vimaranenses que integram aquela que é a primeira Estrutura Operacional de Emergência da Cruz Vermelha Portuguesa, criada recentemente em Guimarães.


A cerimónia de Juramento de Compromisso de Honra dos membros activos teve lugar este sábado, no Paço dos Duques de Bragança, data em que se assinala o Dia Internacional do Voluntariado. Esta estrutura vai aumentar a capacidade de resposta em Guimarães na área da Emergência e Socorro, diversificando os meios disponíveis junto da Protecção Civil.


“As pessoas não estão alheadas do Voluntariado e, hoje, os cidadãos tiram um pouco do seu tempo para ajudar a comunidade e querem ser generosos. Ser voluntário é uma coisa séria!”, referiu Domingos Bragança, que presidiu à cerimónia oficial. Na intervenção que encerrou a cerimónia, o presidente do Município de Guimarães destacou a importância do voluntariado “ter competências técnicas” e “formação especializada”.


“Neste tempo de pandemia, a Cruz Vermelha fica registada em Guimarães pelo trabalho inexcedível que tem desenvolvido no âmbito da protecção civil. A câmara municipal, também em colaboração com os nossos Comandos de Bombeiros, não poupará esforços para protegermos todas as nossas pessoas e bens. Olhamos para a insígnias da Cruz Vermelha e sentimos um imenso orgulho na defesa da Humanidade. De um modo concreto, fazemos um mundo melhor. Tenho muito orgulho em vocês!”, concluiu Domingos Bragança.


Gonçalo Órfão, Coordenador Nacional da Estrutura Operacional de Emergência da Cruz Vermelha, considerou o “dia muito especial”, sem esconder a “felicidade e o orgulho” pela constituição da nova estrutura.


“Esta data é essencial não só pelas circunstâncias que vivemos e pela importância do voluntariado, que tanto beneficia a comunidade onde vivemos. É relevante comemorar esta data, mas também é fundamental reflectir e decidir ser voluntário”, afirmou, por sua vez, Andreia Braz, em representação de Armando Fernandes, presidente da Comissão Administrativa da Delegação de Guimarães da Cruz Vermelha Portuguesa.

Deixa o teu comentário