Braga, sexta-feira

'Natal dourado' mostra diversas artes

Regional

20 Dezembro 2020

Redação

TALENTITANTO volta a reunir o trabalho de diferentes artistas proporcionando um Natal dourado mesmo em ano de pandemia. A exposição colectiva foi ontem inaugurada e fica patente, durante um mês, no Museu D. Diogo de Sousa.

A pintura, a escultura, a música e a poesia cabem no “Natal dourado”, a exposição colectiva organizada pela Associação TalentiTanto que ontem foi inaugurada no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, em Braga, onde pode ser visitada nos próximos 30 dias.

“Uma simbiose entre várias artes que abraçamos durante todo o ano”. Foi assim que uma das representantes da Associação TalentiTanto, Cristiana Gonçalves, apresentou ontem a exposição “Natal Dourado”, emprestando, ela própria, o seu talento ao piano para um dos momentos musicais da inauguração.

O evento que costuma reunir três a quatro dezenas de pessoas, juntou ontem menos gente, fruto dos condicionalismos da pandemia, mas nem por isso o “Natal dourado” perde brilho, já que a exposição continua a mostrar o talento de vários artistas.

Cristiana Gonçalves lembra que “é um evento realizado por artistas e para artistas”, juntando os que trabalham com a Associação TalentiTanto ao longo do ano, mas também outros que têm nesta exposição espaço para mostrarem o seu trabalho.

Num “Natal dourado” “sem abraços e sem porto de honra”, Cristiana Gonçalves vê uma oportunidade para desenvolver “o nosso lado humano”.

“Talvez os olhos tenham que ser mais genuínos para convencer o outro” reforça a dirigente da “TalentiTanto”.

Paulo Gonçalves, que lecciona pintura e escultura na Associação TalentiTanto, lembrou que este foi um ano péssimo para as artes. “Sentimo-nos suspensos, tal como está esta exposição” afirmou, deixando, no entanto, uma mensagem de esperança: “é importante ter confiança e continuar a acreditar, não parar os projectos porque as coisas vão mudar”.

A Associação TalentiTanto começou pela música, mas abarca já várias artes, ocupando diferentes espaços disponibilizados pela Junta da União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade.
Antes da pandemia, a colectividade envolvoa mais de uma centena de alunos, revelou ontem Paulo Gonçalves.

“Muitas vezes, os artistas não têm apoios, não têm espaços onde possam desenvolver e mostrar a sua arte e a TalentiTanto pretende colmatar esta lacuna, através de iniciativas como o “Natal dourado”.

Deixa o teu comentário