Braga, quarta-feira

Norte e Centro criam 12 novas rotas turísticas por jardins históricos

Nacional

12 Maio 2021

Lusa

O Norte e Centro de Portugal oferecem a partir de hoje 12 Garden Experiences (Experiências em Jardins), um novo produto turístico que junta 29 jardins históricos e ajuda a promover o território em segurança em tempos de pandemia.

A Mata de Vale Abraão, Casa de Mateus, Vidago e Parque das Pedras Salgadas, no distrito de Vila Real, Casa do Campo, em Celorico de Basto, Mosteiro de Tibães, em Braga, Quinta da Aveleda, em Penafiel (distrito do Porto),os jardins botânicos do Porto e de Coimbra, a Quinta das Lágrimas, em Coimbra, a Mata do Buçaco, distrito de Aveiro, ou o Parque da Penha, no distrito de Braga, são alguns dos jardins históricos incluídos nas 12 rotas turísticas que já estão disponíveis e a ser comercializadas, anunciaram hoje os responsáveis pela Associação dos Jardins Históricos de Portugal, durante a conferência de imprensa para apresentação das 12 ‘Garden Experiences’, que decorreu no Museu Soares dos Reis, no Porto.
 

“Os jardins são um turismo ambiental, um turismo seguro e não de massas. Os jardins são uma das áreas do turismo que se pode abrir em segurança [em tempos de pandemia]”, disse Manuel Sousa, arquiteto e especialista em jardins históricos em Portugal, durante a conferência de imprensa da Associação dos Jardins Históricos de Portugal.
 

Manuel Sousa assumiu que foi difícil criar um produto turístico de raiz, mas sublinhou que o objetivo futuro é “crescer com mais experiências e continuar a desenvolver este produto para o resto de Portugal Continental e arquipélagos dos Açores e da Madeira, bem como internacionalizar o produto”.
 

“Foi um esforço para transformar este produto [jardins históricos portugueses] num produto turístico com uma nova dinâmica. Foi um levantamento no terreno, a falar com os proprietários, caracterizar (…). Foi necessário criar um produto vendável para os turistas”, explicou.
 

Os ‘packs’ foram concebidos de forma diversificada, com durações diferentes, em modo flexível, pois fica ao critério do visitante adicionar mais tempo ou mais lugares à sua experiência.
 

Os ‘packs’ incluem visitas guiadas pelos próprios proprietários ou seus representantes, mas se o visitante quiser explorar por si tem também sugestões para visitar novos lugares ou revisitá-los agora num contexto novo”, refere Teresa Andresen, numa nota entregue aos jornalistas durante a conferência de imprensa.
 

Associadas a estas propostas turísticas estão duas agências de viagens – Club Tour e Travel Tailors - que estão a comercializar o produto e podem ajudar os visitantes a realizar as reservas, bem como dar dicas de onde comer ou ficar alojado.
 

A Associação de Jardins Históricos de Portugal, criada em 2003, tem atualmente mais de 200 associados, que são proprietários de alguns dos mais notáveis jardins em Portugal.

Deixa o teu comentário