Braga, segunda-feira

Norte mantém 7 centros de vacinação sem previsão de abrir novos

Regional

08 Fevereiro 2021

Redação

Os sete centros de vacinação contra a covid-19 abertos a Norte vão administrar 1.500 doses esta semana, revelou hoje a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), sem previsões de abrir novos locais ao longo desta semana.

Os sete centros de vacinação contra a covid-19 abertos a Norte vão administrar 1.500 doses esta semana, revelou hoje a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), sem previsões de abrir novos locais ao longo desta semana.

“Previsivelmente, manter-se-ão a funcionar mesmos centros e não abrirão outros esta semana”, disse hoje fonte da ARS-N à agência Lusa.

Para a segunda semana desta fase de vacinação, dedicada a pessoas com 80 e mais anos, bem com mais de 50 anos, mas com comorbilidades associadas e doenças crónicas, está previsto um ‘stock’ de 1.500 doses.

Os sete locais abriram no Norte entre quinta e sexta-feira, designadamente Braga, Marão e Douro Norte (Vila Real), Porto Oriental, Póvoa de Varzim/Vila do Conde, Vila Nova de Gaia, Gondomar e Vimioso (Unidade Local de Saúde Nordeste).

À Lusa, a ARS-N apontou que “nos sete centros do Norte foram administradas 900 doses de vacina na quinta e sexta-feira”, o que equivale a uma média de 128 doses inoculações por cada centro.

As razões para não avançar com a abertura de novos locais vacinação não foram especificadas.

A segunda fase do Plano Nacional de Vacinação contra a covid-19 arrancou na manhã de quarta-feira nas Unidades de Saúde Familiares de Alvalade e do Parque, em Lisboa e Vale do Tejo.

Nessa ocasião, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o processo de vacinação contra a covid-19 estava a dar “um grande salto”, abrangendo 900 mil pessoas, e que “a nova fase vai exigir uma grande mobilização de todas as unidades de saúde”.

Na quinta-feira, ao intervir na comissão de Comissão do Ambiente, da Saúde Pública e da Segurança Alimentar do Parlamento Europeu, a ministra da Saúde, Marta Temido, solicitou às farmacêuticas que se comprometeram com a entrega de vacinas para a União Europeia (UE) para cumprirem o acordado e resolverem os “contratempos” verificados no processo de entrega.

“Um dos mais imediatos desafios com que a UE e os Estados-membros se têm deparado é a incerteza quanto à entrega de vacinas contra a covid-19”, declarou Marta Temido.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.316.812 mortos no mundo, resultantes de mais de 106 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.158 pessoas dos 765.414 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário