Braga, sexta-feira

Nova linha ferroviária Porto-Vigo concretiza reivindicação do Eixo Atlântico

Regional

21 Novembro 2020

Redação

Ricardo Rio realçou ontem que a nova linha ferroviária Porto-Vigo, com paragem em Braga, concretiza uma reivindicação antiga do Eixo Atlântico. Realçou ainda que com este investimento teremos ligação, pela Galiza, à alta velocidade europeia.

A concretização da anunciada nova linha ferroviária a unir Porto e Vigo em uma hora será a concretização de uma reivindicação antiga do Eixo Atlântico, recorda Ricardo Rio, presidente desta associação transfronteiriça, realçando que o projecto permitirá ao Norte de Portugal acesso, através da Galiza, à linha de alta velocidade europeia.

Ricardo Rio falava ontem, numa sessão on-line promovida pelo Centro de Informação Europe Direct Minho (CIED Minho) do IPCA, em parceria com o Europe Direct Lugo, a rádio Antena Minho e o jornal Correio do Minho.

‘Multilateralismo e as Eurorregiões: que futuro?’ foi o tema desta iniciativa, que teve moderação de Paulo Monteiro, director do Correio do Minho e da Antena Minho, e onde Ricardo Rio lembrou que “há muito tempo que o Eixo Atlântico reivindica melhores e mais rápidas ligações ferroviárias”, concreta- mente uma ligação Lisboa-Corunha em menos de três horas, que seria importante para “promover a competitividade” desta eurorregião do Minho e Galiza.

Rio acredita no sucesso da nova linha anunciada pelo Governo no âmbito do Plana Nacional de Investimentos (PNI) 2030, desde logo porque o Celta, nas condições que funciona actualmente, tem procura. “Esse é o maior ânimo para que se avance com essa nova ligação”, admitiu o também presidente da Câmara de Braga, para quem o facto de a nova linha Porto-Vigo incluir uma paragem em Braga vem “corrigir um erro histórico”, pois Braga é actualmente uma estação terminal. Com a paragem do novo comboio rápido, Braga passará a integrar em pleno a rede ferroviária.

Ricardo Rio recordou ainda que o Eixo Atlântico tem sido profícuo na elaboração de propostas em matéria de ligações ferroviárias, realçando que ainda recentemente, na Galiza, foram apresentadas algumas propostas nesse âmbito para o lado galego.

“O Eixo Atlântico há muito reivindica, e tem estudos técnicos desenvolvidos nesse âmbito, que uma melhor e mais rápida ferrovia é importante” para reter e atrair massa crítica neste território da eurorregião, um território que conta com mais de sete milhões de habitantes, com fortes ligações do ponto de vista histórico e social, com muitos trabalhadores transfronteiriços, com relações do ponto de vista científico e económico, e onde cresce a aposta no turismo, sobretudo no turismo de fronteira capaz de alavancar as economias transfronteiriças.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho