Braga, sábado

Nova Praça 'muito vai trazer' à cidade

Regional

06 Dezembro 2020

Redação

Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, admitiu que a obra não foi fácil, mas acredita que muito vai trazer à cidade. Autarca desafiou a população a ir à Praça a às instituições lançou o repto de ali realizarem iniciativas culturais e sociais.

Uma “obra difícil” de concretizar, mas cujo resultado final “muito orgulha” e “muito vai trazer” à cidade de Braga. O novo Mercado Municipal de Braga, inaugurado ontem, “é um projecto notável com uma execução técnica exemplar, um acompanhamento excepcional e a tolerância dos comerciantes de perceber o desafio que se tinha entre mãos”, aplaudiu o presidente da Câmara Municipal de Braga. Agora, com a obra pronta, Ricardo Rio lançou o repto: “a Praça é de todos e que todos voltem à Praça com a regularidade que possam”.

Mais do que as condições de conforto, comodidade e funcionalidade que “não existiam” no velho mercado, Ricardo Rio admitiu que “as questões ligadas à segurança e às exigências dos normativos em vigor punham em causa já não a atractividade do mercado, mas a sua própria sobrevivência se nada tivesse sido feito”. Ricardo Rio foi peremptório: “não queríamos ver morrer o mercado municipal, porque carrega décadas de história da cidade, sendo o ponto de encontro regular de todos os bracarenses e o casamento entre as dimensões rural e urbana, enquanto elemento chave da cadeia de abastecimento da cidade”.

Por isso, ao lado da dimensão visível e mais comercial da interacção “há um todo outro mercado com condições técnicas que viabilizam o trabalho e é uma enormíssima mais-valia deste novo espaço”, assegurou ainda o presidente.

Com uma solução arquitectónica “extraordinária” que permite a quem entra no novo mercado ter um “primeiro impacto impressionante”, Ricardo Rio acredita que este novo equipamento “é um activo com uma enorme mais-valia para o futuro”. Já a pensar no futuro, o presidente da autarquia lançou o desafio a todas as instituições da cidade para trazerem para o mercado iniciativas culturais e sociais.

Depois de quase dois anos de trabalho, a vereadora responsável por este equipamento mostrou-se “realizada” pela decisão do executivo, mas também pela forma como foi desenvolvido o projecto junto dos comerciantes.

Este “novo capítulo” do mercado “vai continuar a fazer o futuro”, por isso, a vereadora lembrou que o executivo municipal não investiu apenas na requalificação do edifício, “mas também na manutenção de toda a actividade comercial através do mercado provisório, que permitiu que não se extinguissem os operadores e os hábitos de comprar no mercado municipal”.

Deixa o teu comentário