Braga, sábado

Novo romance de Mia Couto é uma homenagem à cidade da Beira, onde nasceu

Diversos

28 Outubro 2020

Lusa

O escritor moçambicano Mia Couto classificou hoje o seu novo romance, "O Mapeador de Ausências", como uma homenagem à cidade da Beira, onde nasceu e viveu até aos 17 anos e onde hoje lançou a nova obra.

"É uma homenagem à cidade da Beira e não seria justo que eu começasse por lançar este livro fora da cidade que é a mãe desta história", disse à Lusa, à margem do evento no auditório da Faculdade de Economia da Universidade Católica de Moçambique.
 

"É uma história que se desenvolve a partir da minha memória sobre a minha cidade", explicou, ao realçar a importância da urbe: "aqui me transformei num contador de histórias".
 

No livro "O Mapeador de Ausências", um poeta desloca-se pela primeira vez em muitos anos à terra natal, nas vésperas do ciclone que a arrasou em 2019 - numa alusão ao Idai, ciclone que atingiu o centro de Moçambique em março do último ano, e provocou 603 mortos e afetou a vida, até hoje, de dezenas de milhares de pessoas.
 

"Há um poeta que vem à procura da sua infância" e que "vai começar a perceber que aquilo que é presente para ele no sentido temporal, nasce da ausência de alguém", descreveu.
 

Na obra, Mia Couto recorda o pai - o jornalista e poeta Fernando Leite Couto - entre outras figuras que, apesar de ausentes, permanecem vivas nas suas memórias.
 

O autor cresceu durante a época da guerra pela independência de Moçambique e hoje lança "O Mapeador de Ausências", numa altura em que o país é palco de outros confrontos armados, no centro e norte, apelando a que as histórias das vítimas não fiquem por contar.
 

"Acho importante que a informação", através dos órgãos de comunicação social, "transmita não só relatórios sobre as agressões, os ataques feitos por terroristas, mas construa a história das pessoas que estão a ser assassinadas".
 

Autor de mais de 30 livros, Prémio Camões em 2013, Mia Couto regressa ao romance depois de ter publicado em 2019 a coletânea de textos de intervenção cívica "O Universo num Grão de Areia" e “O Terrorista Elegante", três novelas curtas escritas em parceria com o escritor angolano José Eduardo Agualusa.
 

"O Mapeador de Ausências" será publicado em Portugal em novembro, pela Editorial Caminho.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho