Braga, sábado

Obra de 2,4 ME avança em Viana do Castelo após acordo entre câmara e IP

Regional

29 Maio 2020

Redação

A requalificação da Quinta da Bouça, em Darque, por 2,4 milhões de euros, vai avançar após um acordo de gestão celebrado entre a Câmara de Viana do Castelo e a Infraestruturas de Portugal (IP), foi hoje divulgado.

A requalificação da Quinta da Bouça, em Darque, por 2,4 milhões de euros, vai avançar após um acordo de gestão celebrado entre a Câmara de Viana do Castelo e a Infraestruturas de Portugal (IP), foi hoje divulgado.

Em comunicado enviado às redações, a Câmara de Viana do Castelo explicou que o acordo agora formalizado "permite ao município avançar com a requalificação do espaço público da Quinta da Bouça, na freguesia de Darque, qualificando esta zona de habitação multifamiliar com execução de ciclovias, vias pedonais e ajardinamento junto da Estrada Nacional (EN) 13.

A obra, integrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), prevê, além "da construção daqueles percursos, a sua conservação, manutenção e limpeza, contribuindo, deste modo, para a melhoria das condições de acessibilidade e segurança da circulação ciclável e pedonal local, em alternativa à rede viária".

"A IP verificou que a solução apresentada é adequada, visando a garantia das condições de sustentabilidade ambiental, de fluidez de tráfego e segurança da circulação", lê-se ainda no documento.

Segundo o projeto, "o espaço público apresenta-se desprovido de áreas verdes, de mobiliário urbano, com o pavimento degradado e existem algumas zonas em terra".

"Verifica-se a projeção de elementos (escadas e rampas) para o espaço público, resultando numa série de fatores que contribuem para um espaço amorfo e confuso. Todos estes fatores contribuem para a degradação do espaço público e consequente diminuição da qualidade de vida da população aí residente", indica a memória descrita do projeto de requalificação.

A empreitada pretende "requalificar uma zona de habitação multifamiliar ajustada aos novos imperativos de ordenamento do território e de qualificação ambiental".

Segundo o município, "a implementação desta área residencial tem como objetivos gerais qualificar o ambiente urbano, a promoção e valorização da qualidade ambiental através da redefinição de aéreas de circulação automóvel e pedonais, a implementação de um corredor para bicicletas (ciclovia) paralelamente à EN 13, e complementado por zonas arborizadas áreas ajardinadas, reordenamento de estacionamento público de apoio à área comercial e residencial".

A intervenção prevê "a substituição dos materiais ou recuperação dos existentes nos arruamentos e a criação e reorganização de bolsas de estacionamento, de forma a introduzir melhorias significativas na acessibilidade e mobilidade, promovendo conjuntamente a circulação pedonal e ciclovia nestes espaços".

A proposta prevê ainda a eliminação dos muros existentes contíguos à EN 13.

Ao abrigo do PEDU, "a Câmara Municipal está a investir, até 2020, 20 milhões de euros em 30 diferentes projetos, cuja intervenção é focada nas Áreas de Reabilitação Urbana (ARU)”.

O PEDU, financiado por fundos do programa Portugal 2020, visa a qualificação do sistema urbano, do ponto de vista da mobilidade sustentável, regeneração urbana e ação integrada para as comunidades desfavorecidas.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho