Braga, quarta-feira

Otimismo e incerteza divide expectativas do comércio em Viana do Castelo no Natal

Economia

30 Novembro 2022

Lusa

O presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo disse hoje que o comércio do concelho vive um “misto de emoções”, entre o otimismo e a incerteza quanto às vendas no Natal, motivado pela quebra do poder de compra.

“Há um misto de emoções, porque as expectativas como sempre, dentro do princípio do positivismo e da proatividade são boas (…). Por outro lado, há um clima de muita incerteza. Existe uma quebra do poder de compra, um agravamento das despesas, tanto das famílias, como das próprias empresas”, afirmou Manuel Cunha.
 

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação Empresarial de Viana do Castelo (AEVC) referiu que “os comerciantes ficam muito satisfeitos com o investimento que é feito tanto pela associação como pelo município na criação de dinâmicas e de atratividade, por exemplo, com as iluminações natalícias”.
 

“Conseguimos captar agora, já nessa fase, muitos espanhóis e muitos turistas. Portanto, é sempre uma mais-valia o investimento que é feito na programação de Natal. Tem crescido ano após ano, a captação de pessoas e de outros concelhos, outros distritos e até mesmo de fora do país”, sustentou.
 

O responsável, que falava com base numa auscultação que a AEVC realizou junto do tecido empresarial do concelho, acrescentou que o setor “também tem muito receio” da “incerteza” prevista para “o primeiro trimestre do próximo ano”, devido “ao agravamento da despesa fixa das famílias” que “já se nota desde outubro”.
 

“Com a experiência da crise pandémica [covid-19] sabemos da resistência e, em muitos casos, da resiliência com que muitas empresas ultrapassaram aqueles dois anos complicadíssimos. São pessoas que já estão devidamente preparadas para esses tempos complicados, mas obviamente que a incerteza gera alguma preocupação”, observou.
 

Manuel Cunha apontou, até ao momento, a confirmação da presença de 250 espanhóis que viajarão, em quatro autocarros, da província de Leão, em Espanha, até à capital do Alto Minho, atraídos pelo investimento feito em parceria pela AEVC e pela câmara municipal na iluminação de Natal.
 

“Provavelmente [esse número] vai aumentar, porque esses quatro autocarros confirmados vêm da região de Leão”, afirmou Manuel Cunha.
 

O presidente da AEVC referiu que, no ano passado, para a inauguração das iluminações de Natal vieram sete excursões da Galiza”.
 

“As nossas ações já começam a refletir-se mais para dentro de Espanha. Ou seja, além dos quatro autocarros que vêm de Leã,o contamos com os galegos que, no ano passado, foram uma força gigantesca na dinamização da época de Natal”, especificou.

Deixa o teu comentário