Braga, sábado

Paços de Ferreira vence Belenenses SAD com golo nos descontos

Desporto

17 Junho 2020

Redação

O Paços de Ferreira venceu hoje na receção ao Belenenses SAD, por 2-1, e deu um passo em frente rumo à permanência na I Liga de futebol, na 27.ª jornada, num jogo decidido nos descontos.

O Paços de Ferreira venceu hoje na receção ao Belenenses SAD, por 2-1, e deu um passo em frente rumo à permanência na I Liga de futebol, na 27.ª jornada, num jogo decidido nos descontos.

O médio do Belenenses SAD Cafú Phete, aos 90+2, fez autogolo e confirmou a merecida reviravolta no marcador do Paços de Ferreira, consubstanciada com dois tentos no segundo tempo: Douglas Tanque marcou de penálti, aos 48, respondendo ao golo inaugural da formação lisboeta, anotado por Esgaio, aos seis minutos.

Na classificação, o Paços mantém o 16.º lugar, no limite da permanência, com os mesmos 28 pontos do Marítimo, no 15.º posto, mas aumentou para sete pontos a vantagem para o Portimonense, a primeira equipa em zona de descida.

De regresso a casa, 101 dias depois do último jogo (derrota diante do Vitória de Guimarães, por 2-1), o Paços procurava capitalizar o empate do concorrente direto Portimonense (1-1 frente ao Santa Clara) e ganhar maior folga na luta pela permanência, justificando no segundo tempo um triunfo que lhe escapava ao intervalo.

A estratégia do Belenenses SAD, com a habitual linha de cinco defesas, libertando, depois, os laterais, e três elementos móveis e agressivos no ataque, resultou em pleno: a formação de Petit sentiu-se confortável tendo menos bola, conseguindo, em posse, saídas mais limpas para o ataque, onde conseguiu sempre criar mais perigo.

Neste duelo tático, o lateral-direito Esgaio acabou por ser o elemento desequilibrador, protagonizando os três lances de golo construídos pela equipa: no primeiro, aos seis minutos, surgiu descaído pela direita sem marcação e rematou, em jeito, com a ‘canhota’, conseguindo um golo de belo efeito.

O ex-Torreense quase ‘bisou’, aos 20 minutos, mas chegou ligeiramente atrasado a um cruzamento da esquerda de Rúben Lima, que, dois minutos depois, repetiu a assistência na cobrança de um canto, com Esgaio, ao primeiro poste, a cabecear ao ‘ferro’ da baliza de Ricardo Ferreira.

Em bom plano no primeiro tempo, Rúben Lima, única novidade no ‘onze’ do Belenenses SAD, teve uma falha importante no reatamento, aos 47 minutos, ao cometer uma grande penalidade indiscutível e desnecessária sobre Adriano Castanheira, lançado ao intervalo, que Douglas Tanque aproveitou para marcar, igualando o marcador.

O Paços, que até aí apenas ameaçara o golo num pontapé acrobático de Tanque, no final do primeiro tempo (38 minutos), tomou definitivamente conta do jogo e, já com Adriano Castanheira e Bruno Santos em campo, aumentou a agressividade no ataque e a velocidade na circulação de bola, construindo inúmeras situações de golo.

João Amaral e Adriano Castanheira. aos 58 e 84 minutos, respetivamente, dispuseram de oportunidades claras para marcar, face a um Belenenses perdido, sem chama e nada ameaçador neste período, mas o merecido tento da vitória chegou já nos descontos, aos 90+2, numa iniciativa de Uilton pela esquerda, com Phete, na tentativa de corte, introduzir a bola na própria baliza, fixando o resultado final.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho