Braga, quarta-feira

Paulo Cunha: Cumprimos bem a nossa missão

Regional

08 Janeiro 2020

Redação

Jantar de Reis juntou, anteontem à noite, os autarcas do concelho de Famalicão. Presidente da câmara municipal, Paulo Cunha, assegurou que 2019 foi francamente positivo, pedindo aos autarcas para continuarem a ser ambiciosos.

Não é porque o ano de 2019 foi “francamente positivo” que o presidente da Câmara Municipal de Famalicão vai baixar os braços. “Em 2019 cumprimos bem a nossa missão, mas queremos sempre mais”, assumiu Paulo Cunha, aplaudindo o trabalho feito por todos os presidentes de junta e uniões de freguesia do concelho, que anteontem à noite, participaram no tradicional Jantar de Reis.

“Não só os concidadãos reconhecem o trabalho que fazemos, mas também quem está fora do concelho é unânime no reconhecimento do nosso trabalho”, assegurou o presidente, destacando o trabalho das juntas de freguesia. “Sinto-me bem com qualquer presidente de junta do concelho. Sem excepção. Isso acontece porque trabalhamos com pessoas muito qualificadas e que dão o seu melhor e só isso justifica o que temos conquistado”, confirmou.

E Paulo Cunha deixou a garantia: “quando nos escolhem é porque acreditam em nós, criam expectativas e sabem que vamos querer ser mais. Nunca nos vamos contentar nem resignar perante as dificuldades, muito menos esconder quando correr menos bem. Vamos estar no terreno a melhorar e a superar”.

Mas aqui surge um problema: “cada sucesso de um ano, no ano seguinte é mais exigente. Nós queremos sempre fazer mais. E isso não é um defeito, mas uma virtude, porque a ambição permanente de fazer mais é o que deve estar sempre presente. No dia que nos acomodarmos aos feitos, a nossa missão terminou, já não fazemos falta e estamos a mais. E aí devemos dar o lugar a pessoas com ambição”.

Paulo Cunha lançou o repto: “quero que este ano continuem ambiciosos na vontade, no querer, no desejo, na criação de condições, na exigência e na reclamação. É sinal que todos, sem excepção, estão com pedalada e em condições de continuar a cumprir a sua missão”. Se vai ser possível realizar tudo o que cada presidente de junta quer? Paulo Cunha foi objectivo: “não, mas nós queremos o que vocês querem e vamos dar o nosso melhor”.

O orçamento do município, continuou o autarca, “não é o orçamento do presidente é o orçamento dos famalicenses e é para consumir com as tarefas municipais”. Se chega? “O dobro não chegava para tudo o que é necessário. Mas vamos continuar a ter esta forma de executar, que se revê em todos os vossos anseios”, assumiu.

Paulo Cunha deixou ainda um pedido. “Sejais, ao longo deste ano o que tendes sido: exigentes, responsáveis, presentes e ambiciosos. Essa vocação para a superação tem que fazer parte da nossa estética”. Até porque são estes autarcas que “têm permitido guindar o concelho para patamares que muito orgulha”. E os bons resultados do concelho, concluiu Paulo Cunha, são fruto também do “muito trabalho, que é muitas vezes invisível, dos autarcas que são grandes fazedores do sucesso que o concelho conquistou”.

Deixa o teu comentário