Braga, sexta-feira

Pepa idealiza Vitória de Guimarães sustentado no espírito de sacrifício

Desporto

12 Julho 2021

Lusa

O treinador do Vitória de Guimarães, Pepa, afirmou que o espírito de sacrifício, a união e a entrega devem ser as bases para o clube minhoto realizar um desempenho positivo na I Liga portuguesa de futebol.

O treinador do Vitória de Guimarães, Pepa, afirmou que o “espírito de sacrifício”, a “união” e a “entrega” devem ser as bases para o clube minhoto realizar um desempenho positivo na I Liga portuguesa de futebol.

Num vídeo de balanço do estágio de pré-época realizado em Troia, publicado hoje pelos vimaranenses nas redes sociais, o técnico contratado ao Paços de Ferreira realçou que os jogadores a seu cargo devem tentar ir ao “limite” nos índices de “agressividade”, de “intensidade” e de “entrega” para serem bem sucedidos, antes de a qualidade individual sobressair.

“Tudo o resto é a qualidade individual e a ‘magia’ de que todos gostamos e queremos ver. Com naturalidade, isso vai surgir. Mas a base de tudo é a entrega, a união, o espírito de sacrifício. É estarmos todos para o mesmo. Depois, aparecem as individualidades”, realçou, na sequência do estágio realizado entre 04 e 10 de julho, na localidade do concelho de Grândola, no distrito de Setúbal.

O ‘timoneiro’ vimaranense, de 40 anos, quer ver uma equipa que recuse “baixar a cabeça” e “desistir” quando as “coisas não correm tão bem” e que faça da “reação” à perda de bola, da “energia positiva” e da “entrega ao jogo” características “inegociáveis”.

Num dos treinos do estágio, filmados pelas câmaras da estrutura vitoriana, Pepa afirmou mesmo que “quem não reagir [à perda de bola] não tem hipótese de jogar”.

Convicto de que um plantel com jogadores abaixo dos 20 e acima dos 30 anos, como André André e Quaresma, serve para conjugar “irreverência e maturidade”, o treinador esclareceu ainda que a construção de um “espírito de grupo forte” é “uma das prioridades” para a época 2021/22, mesmo não sendo algo conquistado num “estalar de dedos”.

Para o técnico, os jogadores vitorianos devem estar sempre prontos para “cobrarem uns dos outros” e para “competirem no mais simples exercício”, para quererem mais golos, independentemente do resultado que o marcador assinala, e para vencerem os jogos da pré-época.

Após os triunfos por 2-1 nos três ensaios até agora realizados, perante Feirense, Sporting B e Mafra, a equipa de Guimarães vai defrontar, na quarta-feira, o Vizela, formação recém-promovida à I Liga, e Pepa realçou que o triunfo é sempre um objetivo de “curto prazo”, entre outros de “médio prazo”.

“Ganhar os jogos da pré-época não é o mais importante, mas queremos ganhar sempre. Agora, há outros aspetos que estamos a trabalhar para médio prazo. O curto é já o próximo jogo, na quarta-feira. Mas temos de ser pacientes e de seguir o nosso caminho. Não nos desviamos daquilo que queremos, por causa de um resultado ou de uma exibição”, observou.

Deixa o teu comentário