Braga,

Piscinas de Lamas e Sobreposta fintam a Covid e traçam balanço positivo da época

Regional

31 Agosto 2020

Redação

As únicas piscinas das freguesias a abrir portas nesta época balnear traçam um balanço positivo da actividade num ano que as mudanças e imposições foram muitas. Os planos de segurança foram respeitados e não foi registado qualquer incidente.

Na recta final da época balnear, os autarcas das freguesias de Lamas e Sobreposta, os únicos no concelho a decidirem abrir as respectivas piscinas, traçam um balanço positivo da época num ano atípico onde todos tiveram de se adaptar a novas regras.


Os receios iniciais foram ultrapassados graças a um plano rigoroso que esteve alinhado com o que foi adoptado para as piscinas municipais e que os utilizadores dos dois equipamentos cumpriram na plenitude, permitindo manter as duas estruturas abertas sem sobressaltos. “Apesar de não ser um ano como pretendíamos, fizemos bem em abrir a piscina”, diz ao CM Elizabete Silva, presidente da junta de Sobreposta, adiantando que a lotação do espaço - que não podia ultrapassar as 180 pessoas diárias - foi praticamente atingido todos os dias.
 

“Só tivemos um percalço pelo meio devido a uma avaria que nos obrigou a fechar uma semana”, conta a autarca que sublinha o rigor com que o equipamento funcionou e a forma como os utentes acataram as regras. A medição da temperatura à entrada,?a proibição do uso dos balneários, a desinfecção das mãos e calçado, a imposição de um limite de utentes e a análise regular á àgua da piscina foram as principais regras adoptadas.


Além da questão da saúde pública, outro dos motivos que os autarcas do concelho alegaram para não abrir as piscinas das freguesias foi a questão económica, visto que as receitas não cobririam as despesas inerentes à abertura com metade da capacidade e à aplicação do plano de contingência, mas Elizabete Silva adianta que as contas ficaram “mais ou menos equilibradas” , apesar de uma gestão “mais apertada”, nomeadamente ao nível do número de funcionários e das encomendas que foram “mais racionalizadas”.
 

O mês de Agosto costuma ser o mais concorrido nesta piscina, mas as altas temperaturas de Julho alterou um pouco os indicadores.
 

Famílias de todo o concelho e até fora dele procuraram a piscina de Sobreposta que é reconhecida pela sua beleza.


A data de encerramento está agendada para 13 de Setembro.


Também o presidente da Junta de Lamas faz um balanço muito positivo da época balnear na piscina da freguesia que termina na primeira semana de Setembro. “Não fosse o problema da pandemia e tinha sido um ano excepcional, com muita gente”, assegura João Alves.
 

O autarca diz que o sucesso obtido num tempo de particular insegurança se deve ao facto de todos terem cumprido as regras estabelecidas desde a abertura do espaço.


Lamas criou também uma plataforma que indicava a lotação do espaço.


Quanto aos custos, João Alves reconhece que foram mais elevados do que em anos anteriores, sobretudo devido às despesas inerentes ao material de protecção e desinfecção, ao qual se juntou o funcionamento da piscina apenas no período da tarde e com limitação de ocupação, mas garante que, mesmo assim “não teremos prejuízos. Ficará ela por ela”, diz.


“Conseguimos com que as pessoas tivessem um local de lazer alternativo. E não nos podemos queixar de falta de afluência porque tivemos lotação máxima”, conclui o autarca.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho