Braga, sexta-feira

PR apela a diálogo, entendimento e convergência na aplicação dos fundos europeus

Nacional

24 Julho 2020

Redação

O Presidente da República apelou hoje ao "diálogo, entendimento" e à "convergência" sobre a aplicação dos fundos comunitários, salientando que o projeto ultrapassa quatro anos e "o tempo de várias legislaturas e mandatos presidenciais".

O Presidente da República apelou hoje ao "diálogo, entendimento" e à "convergência" sobre a aplicação dos fundos comunitários, salientando que o projeto ultrapassa quatro anos e "o tempo de várias legislaturas e mandatos presidenciais".

Em Vila Nova de Famalicão, no distrito de Braga, no final de uma visita à Continental/Mabor para assinalar os 30 anos daquela multinacional em Portugal e a produção de 3.600.00 pneus, Marcelo Rebelo de Sousa apontou ainda ser "fundamental" a "mobilização dos portugueses" e torno da oportunidade vinda com os fundos europeus e que para isso é preciso que os portugueses entendam as prioridades definidas.

"É preciso que haja uma base política e social de apoio muito ampla. Temos um governo minoritário e este é um projeto para várias legislaturas e vários mandatos presidenciais, para muitos anos", afirmou o chefe de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que convinha que a aplicação dos fundos europeus "arrancasse com uma capacidade de convergência de partidos políticos, parceiros económicos e sociais o mais ampla possível".

O chefe do Estado salientou que "não cabe ao presidente da República estar a substituir-se aos partidos políticos", mas deixou um apelo: "Mas seria uma pena que um projeto desta envergadura não tivesse o maior apoio possível dos parceiros económicos e sociais e dos partidos políticos e que sobre questões fundamentais, constrói-se isto ou aquilo, avança-se com esta prioridade ou aquela, não houvesse esse consenso porque se trata de obras e investimentos que vão ultrapassar 4 anos, de um mandato parlamentar, por isso normalmente de um Governo e até de um presidente da República", disse.

"Só há vantagem em que seja o consenso, a convergência, mais alargado", finalizou.

Na madrugada de terça-feira, o Conselho Europeu aprovou um Quadro Financeiro Plurianual para 2021-2027 de 1.074 mil milhões de euros e um Fundo de Recuperação de 750 mil milhões, dos quais 390 mil milhões serão atribuídos em subvenções e os restantes 360 mil milhões em forma de empréstimo.

Somando 15,3 mil milhões de euros em subvenções do Fundo de Recuperação e 29,8 mil milhões de euros de subsídios do Quadro Financeiro Plurianual, Portugal irá Portugal irá receber mais de 45 mil milhões de euros nos próximos sete anos.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho