Braga, quarta-feira

Projeto pretende valorizar o património

Regional

06 Julho 2021

Redação

Ciclo de Órgão de Viana do Castelo tem o objetivo de promover o encontro da comunidade, artistas e investigadores. A iniciativa vai promover concertos, workshops e uma conferência, com entrada livre.

A primeira edição do ‘Ciclo de Órgão de Viana do Castelo’ arranca no próximo dia 10 e termina a 18 de Julho.


O evento é promovido pelo Secretariado de Liturgia da Diocese de Viana do Castelo, com o apoio da Câmara Municipal e tem como objectivo valorizar este instrumento e o património construído.


Ao longo da edição vão ser promovidos concertos, workshops e uma conferência, sendo que todos os eventos são de entrada livre, com lotação sujeita às normas da DGS.


O pároco Tiago Rodrigues, membro da organização, referiu que a cidade conta com seis órgãos de tubos a funcionar e que vão ser utilizados para os concertos e formações desta iniciativa que pretende “a valorização do património que este instrumento representa”.


A edição decorre no âmbito de sensibilizar para a importância do restauro e manutenção dos órgãos, assim como para a sua regular o seu critério de utilização. Tem também como objectivo divulgar o repertório organístico e promover o encontro entre a comunidade, artistas e investigadores.


O director artístico do ‘Ciclo de Órgão’, Diogo Zão, explicou que a iniciativa tem como mote “divulgar os órgãos de tubos de Viana do Castelo e outros elementos do património dos contextos onde estes se inserem, promovendo o contínuo aprofundamento sobre o seu conhecimento”.


O presidente da Câmara Municipal, José Maria Costa, reconheceu que este ciclo “poderá despertar o interesse para este tipo de música e para as carreiras associadas”. O edil referiu ainda a importância da “valorização do património construído que tem uma função religiosa, mas que, através da música, nos pode levar a contemplar as igrejas enquanto espaços arquitetónicos”.


Assim, a 10 de Julho, às 21.30 horas, a Igreja da Misericórdia acolhe a organista Marisol Mendive com o concerto ‘Afetos e sentimentos num órgão barroco’.


Depois, a 11 de Julho, pelas 16 horas, a Sé Catedral recebe Rui Soares, no órgão, e MVSICA ANTIQVA PORTO, num concerto de homenagem a D. Anacleto Oliveira, Bispo de Viana do Castelo (falecido no ano passado) com o espetáculo ‘Soli Deo Gloria: a luz do barroco italiano e inglês’.


No dia 16, a Igreja Paroquial da Areosa recebe pelas 21.30 horas ‘o Cuco e o Rouxinol entre diálogos barrocos’, pelo organista Filipe Veríssimo e ALTO MINHO ENSEMBLE.


No penúltimo dia da edição, a 17 de Julho, também às 21.30 horas, a Igreja de São Domingos é palco de ‘Motetes e invenções, do renascimento ao romântico’, concerto evocativo de S. Bartolomeu dos Mártires, por Jonathan Ayerst e CAPELLA DURIENSIS. Por fim , dia 18, a Igreja Paroquial de Serreleis conta com a presença do organista Tiago Ferreira e VIANNA BRASS QUINTET para o concerto ‘Per Sonare: música para órgão e quinteto de metais’.


O ‘Ciclo de Órgão’ vai ter ainda um Masterclasses de 12 e 15 de Julho, a decorrer entre as 16.30 e as 19.30 horas, na Academia de Música da cidade e Igreja da Misericórdia, com formação dada por Paulo Alvim para ‘Introdução ao órgão de tubos’.


No dia 17 de Julho, das 10 às 13 horas, a Igreja Paroquial de Serreleis recebe ainda outro masterclass: ‘Introdução à arte de bem acompanhar o canto ao órgão’, pelo formador Eugénio Amorim. A iniciativa inclui também a conferência ‘O órgão em contexto: da liturgia e do património’, na Igreja de Nossa Senhora da Agonia.


Neste evento vão, portanto, ser escutados seis órgãos: da Igreja da Misericórdia, datado de 1721; da Sé Catedral, de 1790; da Igreja Paroquial da Areosa, de 1806; da Igreja de São Domingos, do início do século XIX; da Igreja Paroquial de Serreleis, de 1793; e da Academia de Música de Viana do Castelo, de 1999.

Deixa o teu comentário