Braga, sexta-feira

Projeto relevante para fazer a devida integração europeia

Regional

23 Junho 2021

Patricia Sousa

Campus de Barcelos, do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) vai acolher o espaço Europe Direct Minho, que foi ontem inaugurado, por um período de cinco anos.

O espaço Europe Direct Minho, instalado no campus de Barcelos do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), que foi ontem inaugurado, é um “projecto relevante”, que conta com o apoio dos municípios, de muitas escolas, de várias entidades empresariais e associações, da comunicação social e de muitas outras organizações, que, com muito trabalho em rede, visa aproximar as populações das políticas europeias e dessa forma fazer a devida integração europeia”, defendeu a presidente do IPCA, Maria José Fernandes, admitindo que “ainda há muito a fazer”.


O Europe Direct Minho é um projecto do IPCA, em parceria com a Comissão Europeia através da sua representação em Portugal, que desenvolve um trabalho de colaboração com a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu para promover o projecto europeu. Este espaço é a parte da nova geração da Rede Europe Direct e desta forma a alteração da designação de Centro de Informação Europe Direct (CIED) Minho para Europe Direct Minho. “Este espaço continua o trabalho do CIED Minho e através do seu trabalho no terreno recolhe e sistematiza as expectativas, as questões, as aspirações dos cidadãos da região de intervenção, no que diz respeito ao projecto europeu e transmite-as às instituições europeias, para que estas as possam verter nas suas propostas e aprovações de programas e políticas”, explicou ainda a presidente do IPCA durante a cerimónia de inauguração, assumindo este projecto como “relevante” para apoiar a transmissão das políticas da União Europeia aos cidadãos do Minho.


“Nunca como agora sentimos a importãncia em fazermos parte da Europa e estamos numa fase em que ainda temos muito a fazer, seja no desenvolvimento da coesão territorial e social, seja na área do ambiente e desenvolvimento sustentável, seja na área da digitalização”, defendeu Maria José Fernandes, evidenciando a importância do “trabalhar em rede” para se obter “melhores resultados” para atingir os objectivos para nos aproximarmos do desenvolvimento da média da União Europeia.


Para a presidente, “o processo para a recuperação económica terá de assentar no aumento do conhecimento e da inovação e na implementação do programa de transição digital”.


Depois de aprovado o Plano de Recuperação e Resiliência já foi apresentado um aviso com investimento financiado para a actualização e reconversão das competências da população activa, concretizando a promoção da aprendizagem ao longo da vida. “Sabemos todos que mais educação, mais formação, mais competências são essenciais para melhorar a qualidade de vida das pessoas e para nos tornarmos um país mais coeso e próspero”, apelou.


O IPCA, tal como todas as instituições de ensino superior, as escolas, os municípios, as empresas e as pessoas “estão todos convocados para fazerem parte desta equipa que, com muito trabalho, mas também com muita ambição, terá de vencer este grande trabalho de recuperar a economia, diminuir as desigualdades sociais, potenciar o desenvolvimento sustentável e melhorar a vida das pessoas”.


Ainda na cerimónia, a coordenadora Alzira Costa adiantou que o Europe Direct Minho vai ali funcionar nos próximos cinco anos, sendo que em Portugal existem 15 espaços e em toda a União Europeia a rede é constituída por cerca de 440.

Deixa o teu comentário