Braga, quarta-feira

Quintas estão de portas abertas para desenvolver o enoturismo

Regional

02 Julho 2021

José Paulo Silva José Paulo Silva

Festival Amares de Portas Abertas decorre até domingo. Quintas do concelho aliam-se ao Município numa iniciativa de desenvolvimento do enoturismo.

Abordar de forma mais profissional o enoturismo num “destino único do vinho’ é um dos propósitos da primeira edição do festival ‘Amares de Portas Abertas’, que decorre até domingo em sete quintas do concelho.


O presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, defendeu ontem, em Caldelas, na apresentação pública do evento, “a importância da promoção” de um produto com um peso cada vez maior na economia local, que tem vindo a afirmar-se nos mercados nacional e internacional pela sua qualidade, sendo por isso “fundamental” para a afirmação do concelho.


João Pires, director comercial da ‘Quinta d’Amares’, uma das sete unidades produtoras de vinho verde que estão de portas abertas este fim-de-semana, destacou a importância do festival, “não só para dinamizar o trabalho dos produtores na colocação dos seus produtores no mercado”, como também para “apresentar as marcas e receber todos aqueles que procuram mais daquilo que vão consumir”.


A aposta no enoturismo é entendida como estratégica, seja no concelho Amares, seja no restante território da Região dos Vinhos Verdes, reconhecendo Rafael Oliveira, da ‘Feel?Travel Minho’, entidade parceira da Câmara Municipal na organização de ‘Amares de Portas Abertas’, que “é preciso trabalhar de forma mais profissional” este sector.


“É importante que se desperte para esta oferta que não temos conseguido aproveitar”, declarou aquele consultor, acrescentando que “no Minho já temos alguns eventos ligados ao vinho e à gastronomia, mas falta despertar para esta nova dinâmica que tem de se criar dentro das quintas”.


Com ‘Amares de Portas Abertas’, o Município e os principais produtores de vinho verde do concelho assinalam o Dia Mundial do Vinho.


A iniciativa pretende contribuir também para fazer de Amares um destino de visita durante todo o ano, tornando o período de Primavera-Verão mais animado através do enoturismo num circuito que agrega património construído e natural significativo.


Rafael Oliveira alerta, no entanto, que quando o movimento turístico voltar à normalidade, passada a pandemia, “o território no seu todo precisa de mais oferta hoteleira”.

Deixa o teu comentário