Braga, quinta-feira

Receita de companhia de Viana do Castelo reverte para União Audiovisual

Regional

08 Fevereiro 2021

Redação

A receita do aluguer ou venda de espetáculos do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana, disponíveis no sítio na Internet daquela companhia, vai reverter "integralmente" para a União Audiovisual para ajudar 300 famílias de profissionais da cultura.

A receita do aluguer ou venda de espetáculos do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana, disponíveis no sítio na Internet daquela companhia, vai reverter "integralmente" para a União Audiovisual para ajudar 300 famílias de profissionais da cultura.

"Qualquer pessoa pode, ao alugar ou comprar um vídeo no 'site' do Teatro Municipal Sá de Miranda - e os preços variam entre os três e os sete euros -, ter a garantia de que a totalidade desse valor vai integralmente apoiar esta associação", afirmou hoje à agência Lusa o diretor artístico do Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana.

Ricardo Simões explicou que a União Audiovisual "nasceu durante a pandemia de covid-19, e dedica-se exclusivamente a prestar assistência a cerca de 300 famílias de profissionais do setor cultural e audiovisual".

Ação solidária, intitulada "Iniciativa +_teatro" foi lançada na sexta-feira e vai decorrer "até, pelo menos, à reabertura do Teatro Municipal Sá de Miranda".

Na "loja digital" disponível na página oficial do Teatro Municipal Sá de Miranda, criada em dezembro, "existe uma secção de conteúdos digitais, nomeadamente, vídeos de espetáculos da companhia".

"O serviço já estava em funcionamento desde o lançamento do 'site', em dezembro, onde as pessoas podiam aceder a alguns conteúdos de espetáculo, de forma gratuita, agora, no atual contexto em que voltamos a um confinamento geral, decidimos, através do aluguer ou compra, prestar este apoio à associação de cariz assistencial, que se tem desmultiplicado em iniciativas para angariar fundos para fazer cabazes de comida para famílias de profissionais do setor do audiovisual, nomeadamente técnicos das mais diversas áreas do digital e do teatro", especificou.

A União Audiovisual é uma associação, surgida durante a pandemia, que presta apoio alimentar a profissionais da Cultura que ficaram em situação de vulnerabilidade social por consequência do cancelamento massivo das atividades culturais.

A iniciativa, organizada pelo Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana, em conjunto com a Câmara Municipal de Viana do Castelo, começou a 5 de fevereiro e vai decorrer até, pelo menos, à reabertura dos teatros.

"O 'site' é recente e a loja digital ainda não está completa. Semanalmente, está a ser feito o carregamento de vídeos, do imenso espólio do Teatro do Noroeste. Tem havido alguma procura. Não é a que gostaríamos", acrescentou.

Segundo Ricardo Simões, porém, desde o lançamento da campanha, na sexta-feira, "a resposta tem sido muito positiva".

"Em relação ao que eram as vendas e os alugueres antes e depois da campanha, já se nota uma adesão do público bastante significativa. O que quer dizer que a campanha está a ter sucesso e a cumprir o seu principal objetivo", disse.

"Há muitas pessoas que perguntam como nos podem ajudar, como podem ajudar a cultura e os profissionais da cultura e já percebemos que as pessoas estão a aderir e a ver nesta ferramenta a forma de direcionar o seu donativo, o seu pequeno contributo para este setor particular", reforçou.

A União Audiovisual é um dos grupos de apoio a trabalhadores da cultura, surgidos a partir de março 2020, altura em que os primeiros espetáculos começaram a ser adiados ou cancelados, ainda antes de ter sido decretado o encerramento das salas de espetáculos.

A União Audiovisual apoia, com bens alimentares, os profissionais do audiovisual.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.316.812 mortos no mundo, resultantes de mais de 106 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 14.354 pessoas dos 767.919 casos de infeção confirmados, desde o início da pandemia, segundo o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário