Braga, quarta-feira

Seis anos de prisão por furtos em construtora, talho e farmácia em Barcelos

Regional

10 Dezembro 2020

Lusa

O Tribunal Judicial de Braga condenou hoje a seis anos de prisão um homem acusado de três crimes de furto qualificado em Barcelos, sendo os alvos uma empresa de construção, uma farmácia e um talho.

O arguido, de 39 anos e residente em Barcelos, foi ainda condenado por dois crimes de violação de imposições, proibições ou interdições, por conduzir quando estava proibido de o fazer pelo tribunal.
 

Da empresa de construção, com sede em Barcelinhos, foram furtados artigos eletrónicos, máquinas e ferramentas e 2.400 litros de combustível do depósito de seis camiões.
 

Num talho em Carvalhal, o arguido já se tinha apoderado de uma balança digital de grandes dimensões e de uma motosserra, mas foi surpreendido e detido pela GNR, pelo que se tratou de um furto na forma tentada.
 

No escritório de uma farmácia em Barcelos, levou uma carteira com mais de 2.000 euros.
 

O homem estava também acusado de violência doméstica sobre o pai, mas acabou por ser absolvido deste crime, por falta de provas.
 

O pai optou por não prestar declarações em tribunal e a mãe falou para “inocentar” o filho, num depoimento “emotivo e pouco objetivo, próprio de quem tem uma relação familiar muito próxima com o arguido”.
 

Da mesma forma, o arguido foi absolvido de um crime de violação de domicílio agravado, de que estava acusado pelo Ministério Público por alegadamente ter forçado a entrada na casa dos pais.
 

Para a fixação da medida da pena, o tribunal teve em conta as “vastíssimas condenações” anteriores do arguido, por mais de 20 crimes, entre furto, ofensas à integridade física, roubo, dano, coação, ameaça, simulação de crime e condução sem habilitação legal.
 

No processo, é arguido um outro homem, que foi condenado a três anos e meio de prisão, com pena suspensa, pela coautoria do furto na empresa de construção.
 

O tribunal declarou ainda a perda a favor do Estado de 9.700 euros, quantia que os arguidos terão de restituir.

Deixa o teu comentário