Braga,

Seniores de Celeirós, Aveleda e Vimieiro celebram os Reis com almoço-convívio

Regional

05 Janeiro 2020

Redação

Perto de meio milhar de reformados e pensionistas participaram no tradicional almoço de Reis. Em ambiente de festa e confraternização, seniores desfrutaram de uma iniciativa singular que marca o início de um novo ano.

Perto de meio milhar de reformados e pensionistas da União de Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro reuniram-se ontem para o tradicional almoço de Reis que o executivo local promove anualmente nesta época festiva.

Esta é já uma tradição que a junta pretende dar continuidade com o intuito de estreitar laços de amizade e promover reencontros num ambiente de alegria e confraternização.

O almoço de Reis surgiu há vários anos com o objectivo de promover um convívio com os seniores desta união fora da época do Natal, altura em que os convivas são também chamados a participar noutros convívios.

Manuel Gastão, presidente da da União de Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro recorda que já na freguesia de Aveleda se realizava um almoço de Natal organizado por um conterrâneo - o senhor Vieira - que, quando as forças já não o permitiam, terá pedido ao presidente da junta para dar continuidade à iniciativa, que passou a decorrer no salão paroquial. “Quando se formou a união de freguesias optaram por realizar o almoço de Reis, no primeiro fim-de-semana de Janeiro, devido às muitas festas que se realizam no Natal”, explica o autarca local, acrescentando que o seu executivo decidiu “dar continuidade ao que está bem”.

Manuel Gastão revela que este é um convívio com um significado especial para os seniores desta união que aqui encontram um ambiente de festa e confraternização que se prolonga durante toda a tarde.

Se para uns este é o único convívio anual em que participam, para outros este é o momento em que conseguem rever amigos que não encontram há muito tempo. “Para muitas pessoas este é um dos poucos convívios que têm durante o ano”, confirma Manuel Gastão.

A população sénior - a par das crianças - tem merecido uma atenção por parte do executivo de Celeirós, Aveleda e Vimieiro. “Esta faixa etária é aquela a quem deveremos dar atenção”, assume Manuel Gastão, explicando que além do trabalho desenvolvido pelas IPSS’s das freguesias, os seniores podem usu- fruir do Espaço Sénior que está em funcionamento na sede de Junta de Celeirós. “É um espaço onde se reúnem, uma vez por semana, para saírem de casa, conviver”, diz o autarca. Uma vez por ano, a junta promove também um passeio da freguesia.

Assumindo-se como uma das uniões de freguesias mais populosas do concelho, Manuel Gastão diz que a população sénior é muito representativa nesta união. “Acima dos 65 anos temos mais de meio milhar de pessoas”, diz o autarca, denunciando que as respostas existentes são claramente insuficientes. “Há necessidade das entidades se debruçarem sobre esta questão. É mais importante criar condições para um final de vida digno do que fazer estátuas e rotundas muito bonitas”, diz.

Momentos de alegria e confraternização para dar as boas-vindas a 2020.

Este é um dia festivo para a população sénior da União de Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro que respondeu efusivamente ao convite lançado pela autarquia.

Como é habitual, o programa iniciou com uma eucaristia que este ano contou com um momento especial: a encenação da visita dos Reis Magos ao Menino Jesus, a cargo dos escuteiros que responderam ao repto lançado pelo padre Joaquim Mesquita. “É a primeira vez que se promove esta encenação no contexto do almoço de Reis”, diz Maria Marques, explicando que a encenação foi protagonizada somente por chefes do agrupamento de Escuteiros de Celeirós.

Finda a eucaristia, os convivas deram início ao almoço, com o bacalhau a servir de prato principal.

O convívio foi, uma vez mais, animado pelas colectividades da união de freguesias, nomeadamente os grupos folclóricos que arrancaram muitas palmas e alguns momentos de dança os convivas presentes.

“Tudo o que seja convívio, quer seja de Reis ou outro qualquer, é bem-vindo. Mesmo numa perspectiva de fé, é colocar oportunidades concretas das pessoas serem irmãs. Confraternizar é procurar serem irmãos uns com os outros”, disse o pároco Joaquim Mesquita que participou neste convívio.

Em representação da autarquia, António Barroso também marcou presença neste almoço. “É dos maiores encontros que temos deste género e, por isso, felicito a união de freguesias. É uma forma das pessoas estarem juntas, de conviverem, sobretudo nos dias de hoje em que é difícil manter estes laços de amizade”, confessa.

Rosa Ferreira e Emilia Pinheiro são presenças habituais neste almoço. “Encontrei pessoas que não via há muitos anos. Para mim é um prazer ver as pessoas que que serviram trataram bem”, diz Emília.
Júlia Silva, de 92 anos, era a conviva mais velha. Apesar das limitações físicas fez questão de marcar presença no encontro. “Venho todos os anos. Gosto muito. Queria ter saúde para continuar a vir”, diz.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho