Braga, sexta-feira

Sindicato volta a reclamar prioridade na vacinação de professores

Nacional

07 Janeiro 2021

Lusa

A Associação Sindical dos Professores Licenciados (ASPL) voltou hoje a pedir ao Governo para priorizar a vacinação dos professores e educadores de infância contra a covid-19, defendendo que devem ser considerados profissionais de risco.

"Considerando o plano de vacinação que se encontra a decorrer, a ASPL voltou a apelar ao Ministério da Educação que, em articulação com o Ministério da Saúde, trabalhe no sentido de priorizar a vacinação dos professores e dos educadores, que devem ser considerados profissionais de risco", refere em comunicado o sindicato, que hoje reuniu-se com a tutela para um balanço do primeiro período letivo.
 

Segundo a ASPL, os professores e educadores de infância "estão particularmente expostos", sendo "impossível cumprir as regras de distanciamento físico impostas pela DGS [Direção-Geral da Saúde] na esmagadora maioria das escolas, designadamente nas salas de aula".
 

No comunicado, a associação sindical lamenta "a falta de abertura ao diálogo e à negociação" por parte do Ministério da Educação para a resolução de "muitos problemas", como a falta de professores e de informação sobre a progressão de carreiras e o regime de saúde e segurança nas escolas.
 

A pandemia da covid-19 provocou pelo menos 1.884.187 mortos resultantes de mais de 87,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP.
 

Em Portugal, morreram 7.472 pessoas dos 456.533 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da DGS.
 

A campanha de vacinação contra a covid-19 iniciou-se no país em 27 de dezembro com a inoculação de profissionais de saúde dos hospitais. Na segunda-feira foi alargada a lares de idosos.
 

A covid-19 é uma doença respiratória causada por um novo coronavírus (tipo de vírus) detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário