Braga, quarta-feira

Situação em Vizela é bastante preocupante

Regional

31 Outubro 2020

Redação

Edil alerta que a situação epidemiológica de Vizela está bastante preocupante e defende recolher obrigatório para mitigar pandemia.

O presidente da Câmara de Vizela afirmou ontem que o dever de permanência no domicilio, ao “não pôr em causa” a economia, ajudaria a mitigar a evolução da pandemia de Covid-19 e “o alastrar” de contágios no concelho.


“Somos uma população de cerca de 24 mil habitantes e nos últimos sete dias aumentamos em 100 o número de casos”, afirmou Vítor Hugo Salgado à Lusa, acrescentando que o número de novas infecções passou de 272 para 373 na última semana.


Vítor Hugo Salgado afirmou estar em “contacto permanente” com o secretário de Estado Eduardo Pinheiro, que está a coordenar a pandemia na região Norte, e que aguarda o Conselho de Ministros extraordinário para que sejam implementadas medidas mais globais.
 

“Estamos numa fase preocupante e acho que é necessário tomar o máximo de medidas de forma concertada”, afirmou.


O autarca salientou que a situação no concelho de Vizela está “bastante preocupante” dado, por um lado, a aproximação a Guimarães, e por outro, aos concelhos de Felgueiras e Lousada, onde foram implementadas, a par com Paços de Ferreira, medidas mais restritivas para combater a evolução da Covid-19.

Nesse sentido, a autarquia tomou uma série de medidas para evitar os contágios e mitigar a propagação da doença, bem como medidas de apoio social.


O encerramento dos cemitérios durante este fim-de-semana, a suspensão das feiras semanais e limitações no funcionamento dos serviços municipais com as equipas a funcionar em “espelho”, foram algumas das medidas adoptadas.
 

O autarca afirmou que já foram distribuídas cerca de 100 mil máscaras e que estão a ser distribuídos ‘kits’ de equipamentos de protecção e higienização às várias IPSS do concelho, aos comerciantes, bombeiros e escolas.


Paralelamente, a autarquia criou “um programa de emergência alimentar” que complementa o já existente no concelho, principalmente, devido ao aumento do desemprego, que segundo o autarca, face ao mesmo período homologo, ronda os 40%.


O edil está infectado com o novo coronavírus e desde há 12 dias que recupera em casa.


“Neste momento, estou numa fase estável de recuperação, o que é óptimo porque foi duro”, disse, explicando que, no seu caso, a Covid-19 evoluiu para uma pneumonia, mas como tinha suficiente oxigenação do sangue, não foi necessário o internamento.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho