Braga, quinta-feira

'Situação epidemiológica está a melhorar, mas não podemos baixar a guarda'

Regional

15 Dezembro 2020

Redação

Ricardo Rio confirma que a situação epidemiológica no concelho está a melhorar, nomeadamente com o decréscimo de novos casos de Covid-19. No entanto, o autarca alerta que não podemos baixar a guarda porque a situação pode voltar a complicar-se.

A situação epidemiológica do concelho de Braga está a melhorar, concretamente com o decréscimo gradual de novos casos confirmados de Covid-19, no entanto a situação não permite baixar a guarda, alerta o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio.

Após um pico registado em meados de Novembro, marcado pelo aumento exponencial do número de novos casos diários de Covid-19 e também pelo aumento de óbitos, a situação concelhia tem vindo a desagravar-se sensivelmente desde o início deste mês, com o número de novos casos diários a baixar significativamente, o número de recuperados a aumentar, o que faz baixar os casos activos. Porém, continuam a registar-se óbitos.

“Vivemos actualmente circunstâncias melhores do que há cerca de um mês, mas não podemos baixar a guarda”, repete Ricardo Rio, em declarações ao ‘Correio do Minho, apelando à população para que cumpra as recomendações das autoridades de saúde.

Desde meados de Junho que Braga não registava óbitos associados à Covid-19, situação que se alterou em Novembro.

Em Junho havia registo de 74 mortos. Na passada sexta-feira eram já 122, portanto mais 48 vítimas fatais do novo coronavírus, todas elas registadas desde o início de Novembro.

No entanto, ao contrário da primeira vaga, em que os óbitos estavam muito associados aos lares de idosos, a situação actual- mente é diferente, realça o edil.

Ricardo Rio refere que nos lares de idosos do concelho se têm verificado ocasionalmente um outro caso avulso, mas longe da dimensão que o problema atingiu em Março e Abril.

Relativamente à resposta hospitalar, o autarca revela que ,de acordo com o que lhe tem sido transmitido, o número de internamentos tem descido ligeiramente nos últimos, naquele que será já um reflexo dessa diminuição de novos casos.

Recorde-se que o concelho conta actualmente com duas respostas activas para mitigar os efeitos da pandemia.

No Sameiro, no Hotel João Paulo II, foi reactivada uma unidade retaguarda para doentes Covid que não necessitam de cuidados clínicos ou para quem não tem condições em casa para fazer o isolamento.

Trata-se de uma resposta que “ainda não teve utilização até agora”, nesta segunda vaga.

Já a unidade apoio para pessoas em situação de sem-abrigo, que nesta segunda vaga está a funcionar em instalações da Casa de Saúde do Bom Jesus, em Nogueiró, tem tido procura. Ontem acolhia nove pessoas.

A perspectiva é que o concelho de Braga desça de patamar na próxima escala de concelhos de risco elaborada pelo Governo. No entanto, mesmo que isso se verifique, as medidas restritivas vão manter-se no concelho.

Actualmente Braga integra a lista de com concelhos em risco extremamente elevado, perpectivando-se que passa para a lista de concelhos de risco muito levado. As medidas de combate à pandemia que vigoram são as mesmas em ambos os casos.

Deixa o teu comentário