Braga, sexta-feira

Socialistas consideram excessivo financiamento a séries televisivas

Regional

06 Julho 2021

José Paulo Silva José Paulo Silva

Partido Socialista votou a favor, mas pediu cautelas no apoio a produções televisivas. Presidente e vereador do turismo alegam que este investimento tem retorno na economia local.

Os vereadores do Partido Socialistas votaram ontem a favor de um apoio camarário de 40 mil euros a uma série televisiva a rodar na cidade de Braga, mas consideram que começa a ser “abusivo” o investimento que a autarquia dá a este tipo de produções.


O vereador Artur Feio alertou, na reunião do executivo municipal, que a Câmara já investiu, neste ano fiscal, mais de 100 mil euros em produções televisivas, valor que entende ser “manifestamente exagerado”.


No final da reunião, o vereador do PS declarou aos jornalistas que “criou-se um microclima favorável para que todas as produções televisivas comecem a ser feitas em Braga”.


Contrariando a ideia dos socialistas de que já não haverá tanta necessidade de “investir mais no naming de Braga”, o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio, alegou que o investimento em produções televisivas e cinematográficas com cenários na cidade “é bem feito”.


“Braga em produtos televisivos e cinema de qualidade é uma forma muito interessante de projectar a cidade”, adiantou o edil, apontando como exemplo a série ‘Vento Norte’, recentemente exibida pela RTP.


Para uma nova série televisiva de oito episódios produzida pela MGN Filmes para a RTP, a Câmara Municipal pagará despesas de alojamento da respectiva equipa até um montante de 40 mil euros.


Para além da série ‘Vento Norte’, uma telenovela da TVI recebeu recentemente apoio da Câmara Municipal, justificando Altino Bessa, vereador com o pelouro do Turismo, que os financiamentos municipais têm “um efeito multiplicador na economia local” de forma imediata, para além das contrapartidas em termos de visibilidade mediática.


O vereador argumentou também que “ninguém no sector da hotelaria” aceitaria que, no actual contexto, o Município não assumisse parte dos custos de alojamento associados a estas produções televisivas.


Artur Feio insistiu que esta estratégia da maioria camarária “é excessiva”, considerando que Braga não necessita de se transformar na “capital das séries televisivas em Portugal”.


Segundo a proposta aprovada por unanimidade na vereação, a nova série que vai ser filmada na cidade pretende “dar um retrato realista de Braga, como sendo uma cidade cheia de vida e de futuro, que vive com o peso tradicional da Igreja Católica, e que ao mesmo tempo tem de lidar com a integração de minorias, como a cigana, apesar dos programas sociais que têm sido desenvovidos pelas autarquias e outras organizações sociais”.

Deixa o teu comentário