Braga,

Theatro Circo com ciclo de espectáculos para ajudar a manter a Cultura viva

Diversos

06 Novembro 2020

Redação

Paulo Brandão, director artístico do Theatro Circo de Braga, diz que as artes e espectáculos são mais necessários que nunca para as pessoas saírem um pouco de casa e terem acesso à Cultura. A agenda tem programa até Dezembro a preços apelativos.

É com “expectativas positivas e elevadas” que Paulo Brandão, director artístico do Theatro Circo de Braga, vê a antecipação do horário dos espectáculos programados para as 19 horas, dentro do contexto da pandemia de Covid-19. O programador incentiva o público a aproveitar os “preços apelativos” dos espectáculos semanais que estão agendados para os próximos fins-de- -semana, que trarão à cidade nomes sonantes como Selma Uamusse (amanhã) e Adriana Calcanhoto (dia 28), e garante que a sala tem as condições para receber todos com toda a segurança.


Apontando para a Cultura e para as artes e espectáculos como a melhor forma de manter a “sanidade mental”, Paulo Brandão diz que a agenda cultural ainda se torna mais importante agora, servindo como uma ‘escapatória’ ao contexto pandémico que se vive actualmente com a Covid-19.


“Penso que esta alteração de horários, com o encerramento das casas de espectáculo às 22.30 horas - o que implica que os espectáculos iniciem mais cedo, às 19 horas - poderá até vir a ser positiva, por exemplo, com a captação de outros públicos que se adaptem melhor a este horário. Essa é, pelo menos, a nossa expectativa e esperamos que isso aconteça”, indica o director artístico.


Para Paulo Brandão o Theatro Circo, como outras ‘casas da cultura’, são também um exemplo em termos de organização de eventos culturais seguros, cumprindo escrupulosamente as regras ditadas pela Direcção-Geral de Saúde. “Felizmente, até ao momento, não temos nota de nenhum caso e também não houve nenhuma nota da área da Saúde de que tenha havido qualquer episódio daqui decorrente”, asseverou, lembrando que a Cultura e as artes em geral foram as primeiras a ser “estigmatizadas” no início da pandemia, provando, mais tarde, que, afinal, “é possível trabalhar em segurança” e que as pessoas podem continuar a divertir-se, desde que cumpram com as regras básicas como o uso da máscara e distanciamento social.


Verificando que os contágios acontecem mesmo no contexto familiar, Paulo Brandão diz também que as pessoas também precisam dessa evasão das rotinas diárias que as artes e espectáculos proporcionam, sobretudo nesta altura de regresso ao teletrabalho e ao confinamento, mesmo que parcial.


“As pessoas não podem estar 24 horas do dia em casa sempre. Têm também a possibilidade de ir a uma sala como o Theatro Circo, onde cumprimos as regras de segurança, e assistir a bons espectáculos como é esta programação que temos agendada para os próximos fins-de-semana que traz à cidade nomes sonantes e com espectáculos variados desde o teatro à dança para agradar aos diferentes públicos também”, afirma.


“Temos que trazer mais artistas nacionais e descobrir, cada vez mais, estes novos valores”, assume o director artístico do Theatro Circo, dando como exemplo o pianista Tiago Sousa, que sobe a palco no próximo dia 14.

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho