Braga, sexta-feira

Treinador do Guimarães quer impedir reação de um Benfica com o 'orgulho ferido'

Desporto

04 Fevereiro 2021

Redação

O treinador João Henriques afirmou hoje que o Vitória de Guimarães quer vencer um Benfica de "orgulho ferido", face aos resultados recentes, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, na sexta-feira, em Lisboa.

O treinador João Henriques afirmou hoje que o Vitória de Guimarães quer vencer um Benfica de "orgulho ferido", face aos resultados recentes, em jogo da 17.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, na sexta-feira, em Lisboa.

Após três vitórias consecutivas, os minhotos podem consumar a melhor série de resultados no campeonato, diante de um adversário que venceu por uma vez nas últimas cinco jornadas e que, na segunda-feira, perdeu o dérbi lisboeta com o Sporting (1-0), com o técnico vitoriano a antecipar uma reação benfiquista.

"Queremos conquistar os três pontos. Todo o Benfica, dos jogadores, ao treinador e aos adeptos, está ‘ferido' no orgulho. As equipas boas costumam estar preparadas para reagir. Vamos tentar fazer com o que não sejam capazes de reagir. O Benfica é sempre o Benfica. Tem um plantel de qualidade vastíssima", disse, em videoconferência de antevisão ao jogo, marcado para as 19:00, no Estádio da Luz.

Convicto de que não há "mais nem menos facilidades" em defrontar agora o Benfica, face ao jogo de dezembro, para a Taça da Liga, em que os ‘encarnados' derrotaram os vimaranenses nas grandes penalidades (4-1, após o 1-1 no tempo regulamentar), João Henriques acrescentou que "equipas boas", como a da Luz, "raramente têm períodos muito longos de maus resultados".

O ‘timoneiro' realçou, contudo, que o Vitória está em "crescendo" na I Liga, ocupando o sexto lugar, com 29 pontos, em 15 jogos, a quatro dos ‘encarnados', quartos classificados, com jogadores em "bom momento", preparados para um "duelo competitivo", no qual espera o adversário a jogar novamente com uma linha de quatro defesas, depois dos três centrais com que surgiu em Alvalade, frente aos ‘leões’.

Quanto à ausência do treinador Jorge Jesus do banco de suplentes do Benfica, devido à infeção pelo novo coronavírus, João Henriques desejou "rápidas melhoras" ao colega de trabalho e realçou que a sua ausência pode influenciar o rendimento adversário, quer pela positiva, com os jogadores a "unirem-se em torno disso", quer pela negativa, ao "apresentar-se condicionado".

Além de prolongar a série vitoriosa, a formação da ‘cidade berço' tem ainda a hipótese de encerrar a primeira volta do campeonato invicta nos jogos fora, depois de ter somado cinco triunfos e dois empates, com 12 golos marcados e três sofridos - é a defesa menos batida nessa condição.

O treinador reconheceu que, além do apuramento para as provas europeias, o Vitória tem "objetivos intermédios", entre os quais a conclusão da primeira volta sem derrotas e a manutenção do registo defensivo, sem "descurar a questão ofensiva".

Com Bruno Varela, Jorge Fernandes e Pepelu de regresso às opções, o técnico considerou ainda importante "sentir que o plantel está preparado para jogar de três em três dias" e para uma possível "rotatividade", a propósito do duelo com o Belenenses SAD, para a 18.ª ronda, na segunda-feira, em Oeiras.

Questionado ainda sobre o encerramento do ‘mercado de inverno’ e o interesse no defesa Tomás Ribeiro, do Belenenses SAD, João Henriques preferiu sublinhar a promoção do médio Tomás Handel da equipa B à principal, tendo dito que o Vitória vai crescer com "jogadores com margem de progressão grande".

O Vitória de Guimarães, sexto classificado da I Liga, com 29 pontos, defronta o Benfica, quarto, com 33, em partida da 17.ª jornada, agendada para as 19:00 de sexta-feira, no Estádio da Luz, em Lisboa, com arbitragem de Nuno Almeida, da Associação de Futebol do Algarve.

Deixa o teu comentário