Braga, quinta-feira

Último trimestre do ano arranca na Casa das Artes de Famalicão com Borealis Ensemble

Regional

30 Setembro 2020

Redação

A programação dos últimos três meses do ano na Casa das Artes, em Vila Nova de Famalicão, começa, na quinta-feira, com Este Som de O Mar Praiar, pelo Borealis Ensemble.

A programação dos últimos três meses do ano na Casa das Artes, em Vila Nova de Famalicão, começa, na quinta-feira, com “Este Som de O Mar Praiar”, pelo Borealis Ensemble.

O concerto apresenta, em estreia mundial, obras de Isabel Soveral, Nuno da Rocha e Hugo Vasco Reis, encomendadas para este projeto, interpretadas pelo conjunto composto por Sara Braga Simões (soprano), António Carrilho (flautas de bisel), Catherine Strynckx (violoncelo) e Helena Marinho (piano).

No sábado, a Casa das Artes recebe o espetáculo “Seis Meses Depois”, da Companhia Olga Roriz, que marca os 25 anos desta estrutura artística, e, no dia 10 de outubro, sobem ao palco do grande auditório Black Bombaim e Luís Fernandes, que vão fazer a banda sonora ao vivo para o filme “A Idade de Ouro”, de Luis Buñuel, assinalando o dia de arranque da quinta edição do ciclo Close-Up - Observatório de Cinema de Famalicão, com 30 sessões em sala até dia 17.

Devido à pandemia da covid-19, a Casa das Artes “reprogramou a sua dileta Poética da Palavra, com cinco momentos a ocorrerem em outubro e novembro”: “O Amante”, de Harold Pinter, com encenação de Albano Jerónimo e Cláudia Lucas Chéu (09 de outubro), “Vânia”, de Luís Mestre a partir de Tchékov, Mamet e Barker (30 e 31 de outubro), “Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo”, de Lúcia Moniz e Pedro Lamares (07 de novembro), “Airbnb e Nuvens”, de Luísa Costa Gomes, encenada por Manuel Tur (14 de novembro), e “Wake Up”, a partir de Bogosian, com criação de António Afonso Parra e Luís Araújo (14 de novembro).

Outubro na Casa das Artes encerra com um concerto de Cuca Roseta, no dia 24, enquanto Tainá abre o mês de novembro com uma atuação no dia 06 desse mês. Também em novembro, no dia 22, a brasileira Adriana Calcanhotto vai a Vila Nova de Famalicão.

Nos dias 26, 27 e 28 de novembro, a sala de Famalicão recebe “Próspero”, com tradução, dramaturgia e encenação de Pedro Galiza, e interpretação de Jorge Pinto, a partir de “A Tempestade”, de Shakespeare.

Entre 04 de novembro e 23 de fevereiro do próximo ano, o ‘foyer’ da Casa das Artes vai receber a exposição “Jorge Pinheiro – Da Coleção de Serralves em Famalicão”.

No último mês do ano, a Casa das Artes acolhe, no dia 04, “Pinóquio”, com encenação de Xico Alves, e, um dia depois, David Fonseca. No dia 12 de dezembro, é encenado “O Primo Basílio”, em versão bailado a partir do livro de Eça de Queirós, com direção artística de Solange Melo e Fernando Duarte.

Como habitualmente, a programação da Casa das Artes recebe também as exibições de cinema pelo Cineclube de Joane, que em outubro incluem obras como “O Paraíso, Provavelmente” (sábado), “Retrato de Uma Rapariga em Chamas” (08 de outubro), “Dark Waters – Verdade Envenenada” (22 de outubro) e “Alva” (29 de outubro).

Deixa o teu comentário

Bem-vindo á Antena Minho
Permita anúncios no nosso website

Parece que está a utilizar um bloqueador de anúncios.
Utilizamos a publicidade para ajudar a financiar o nosso website.

Permitir anúncios na Antena Minho