Braga, sexta-feira

Unidade de tecelagem "Hata" arranca com nova Zona Industrial Vila Chã/Curvos

Regional

29 Junho 2021

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

Esposende arrancou, ontem, formalmente, com a nova Zona Industrial Vila Chã/Curvos através da inauguração da HATA - uma unidade do grupo Tintex, cuja família Silva é originalmente dali. É mais um passo rumo à atracão de novos investimentos.

Esposende inaugurou, ontem, a instalação da unidade HATA, do grupo Tintex, que, pela mão da família empreendedora Silva, arrancou também com a criação de um povo pólo empresarial do concelho: a Zona Industrial de Vila Chã/Curvos. Esta é uma nova área industrial com potencial de crescimento para albergar empresas de média e grande dimensão, com o objectivo maior de catapultar economicamente o concelho e fixar população qualificada, que procura também a qualidade de vida que Esposende oferece, assim destacou o secretário-de-Estado Adjunto e da Economia, João Neves, que fez questão de marcar presença na cerimónia inaugural da nova unidade do grupo empresarial Tintex HATA, que caracterizou como “um exemplo”.


A nova unidade fabril e a primeira instalada no novo pólo industrial de Vila Chã/Curvos trabalha na área da tecelagem, apostando na inovação dos tecidos, fruto da sua I&D e das parcerias com o exterior, tendo a pandemia de Covid-19 servido para impulsionar novas matérias-primas para a produção de máscaras reutilizáveis.


“Este investimento revela uma estratégia bem conseguida do Grupo Tintex com a concretização desta unidade muito alicerçado no conhecimento de mercados e na capacidade de, à volta das tendências do mercado, encontrar produtos tradicionais e alternativos que respondam também aos desafios da economia circular - que é muito assente na inovação, conhecimento, no estabelecimento de parcerias com instituições de I&D que aproveitem as valências que existem fora da empresa e dentro para enfrentar os desafios”, assinalou o secretário-de-Estado Adjunto e da Economia, que indicou que a Tintex é um exemplo em termos de inovação empresarial, sublinhando o aproveitamento dos apoios disponíveis para reinvestir e trilhar o caminho da inovação. João Neves disse que as exportações estão a subir e há “sinais positivos” de recuperação.


A inauguração da HATA está revestida de simbolismo para o empresário Mário Silva e os filhos administrador Pedro e Ricardo e restante família, já que se trata de um regresso do grupo empresarial às suas origens e a Esposende e que só não aconteceu mais cedo porque o concelho esposendense não apresentava novas áreas industriais, o que levou a que os empresários tivessem que investir em Vila Nova de Cerveira, onde a Tintex está localizada há 23 anos, e na área do Neiva, em Viana do Castelo. “Esta é também uma homenagem póstuma ao nosso pai - Ramiro Martins Silva - pelo impulso que deu a este projecto e que hoje (ontem) celebraria 88 anos”, disse o empresário Mário Silva, que, juntamente com os seus irmãos, inaugurou um busto em homenagem ao patriarca da família já falecido. “Esposende deve continuar a apostar em zonas industriais tranquilas, com boas estruturas e acessos e de continuar este esforço para atrair empresas para espaço amplo e construir as redes viárias adequadas”, apelou o empresário.


Benjamim Pereira, presidente da Câmara Municipal de Esposende, confessou o “orgulho” no regresso do empresário às origens e disse que tudo fez para agilizar o processo, que acabou por ser demasiado burocrático. O autarca disse que atracção de investimento é uma prioridade e que é esse o objectivo da START Esposende, apontando ainda para incentivos vários desde não cobrar a derrama às empresas, isenção de IMT ou a Via Verde do Empresário, entre outros.

Deixa o teu comentário