Braga, segunda-feira

Vasco Seabra rejeita Moreirense ansioso devido à longa série sem vencer em casa

Desporto

05 Maio 2021

Lusa

O treinador Vasco Seabra rejeitou hoje que os futebolistas do Moreirense estejam ansiosos devido à ausência de triunfos em casa na I Liga, na véspera de receberem o lanterna-vermelha Nacional, em jogo da 31.ª jornada.

“A ansiedade não tem acontecido porque temos pontuado e feito um trajeto ascendente. Os jogadores lutam sempre para ganhar e essa é a nossa imagem. Não temos vencido em casa, mas, mais importante do que ser em casa ou fora, é que queremos voltar a vencer muito rapidamente”, reconheceu o técnico, em conferência de imprensa.
 

Ainda em busca do primeiro triunfo caseiro no comando dos minhotos, depois de duas derrotas e sete empates, três dos quais diante de Sporting, FC Porto e Benfica, todos a um golo, Vasco Seabra prometeu “muita alma e dedicação” para diluir essa tendência.
 

“Sinto nos jogadores uma vontade muito grande de vencer e de transmitirem a nossa predisposição no treino e no jogo, sem oscilarem em momento algum. Temos de lutar desde o primeiro ao último segundo com muita garra pela vitória. Só dessa forma iremos superar este adversário, que está numa posição difícil e vai lutar pela vida”, observou.
 

O treinador do Moreirense acredita que o Nacional “ainda tem condições para poder sair de onde está”, sendo que “isso naturalmente transcende e dá motivação” aos atletas insulares e adverte os vimaranenses para “estarem no limite máximo das capacidades”.
 

“Tem sido uma equipa competitiva nos últimos jogos. Foi difícil para o Sporting, em Alvalade [derrota por 2-0], e o Vitória de Guimarães passou muitas dificuldades na Madeira [vitória por 1-0]. Vai querer transcender-se e atacar-nos com muita força. Temos de ser iguais a nós mesmos e superar-nos ainda mais para procurar a vitória”, notou.
 

Os minhotos não vencem há quatro jornadas e podem igualar a pior sequência de resultados da época em caso de derrota frente ao Nacional, mas Vasco Seabra procura evitar a repetição de “três ou quatro exceções” recentes nas primeiras partes dos jogos.
 

“Naturalmente, já conversamos sobre isso [vários golos sofridos na meia hora inicial]. O que sentimos é que não há margem para facilitarmos. Este campeonato é extremamente competitivo e exige de nós uma entrada muito capaz. Temos exemplos de que, quando não o fazemos, andamos a correr atrás e é muito difícil podermos recuperar”, analisou.
 

Com a derrota em Guimarães (1-0), o Moreirense ficou a cinco pontos da sexta posição, que poderá ser a última de acesso às provas europeias de 2021/22, contexto que não impede de encarar com “exigência máxima” os derradeiros quatro jogos no campeonato.
 

“As contas da permanência não estão fechadas nem sequer sabemos quantos pontos serão necessários. Cada lugar que se fica acima é melhor para clube e jogadores”, finalizou Vasco Seabra, que já contará com Felipe Pires, recuperado de lesão, enquanto Fábio Pacheco completou uma série de 12 cartões amarelos e vai cumprir castigo.
 

O Moreirense, oitavo colocado, com 36 pontos, recebe o Nacional, 18.º e último, com 24, na quinta-feira, às 15:00, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, numa partida da 31.ª jornada da I Liga, com arbitragem de Nuno Almeida, da associação do Algarve.

Deixa o teu comentário