Braga, quarta-feira

Veículos autónomos e elétricos são o futuro da mobilidade sustentável

Regional

25 Junho 2021

Marta Amaral Caldeira Marta Amaral Caldeira

As novas soluções de mobilidade sustentável como os veículos híbridos e elétricos serviram de tema para um encontro de empresários de várias áreas da região, que pensam já no futuro que aí vem.

Os carros autónomos e os veículos eléctricos farão parte do quotidiano futuro que neste momento já está a ser implementado a nível global, atendendo à redução das emissões de gases de efeito de estufa e à questão das alterações climáticas do planeta Terra, a que é urgente pôr cobro. “No futuro, a mobilidade será multidonal, eléctrica, partilhada e autónoma”, garante Baptista da Costa, especialista em mobilidade, que, ontem, foi o convidado para falar do tema num encontro entre empresários de várias áreas da região de Braga realizado no espaço ‘Abadia d’Este’.


Algumas das novas soluções e tendências da mobilidade do futuro foram apresentadas aos empresários da região, numa iniciativa promovida pela Associação Comercial de Braga, em parceria com a Toyota e o Grupo Caetano Auto Minho.


“No futuro a mobilidade será multimodal, com diferentes modos, desde andar de bicicleta a andar a pé, nos transportes públicos, de carro, etc. A mobilidade será crescentemente eléctrica, até porque as baterias estão cada vez mais baratas e os carros têm uma maior autonomia... e é o carro autónomo que vai trazer a grande revolução nas cidades, pois será possível, por exemplo, um cego passar a deslocar-se mais facilmente, bastando chamar um carro autónomo, que não precisa de ser conduzido” apontou Baptista da Costa, que entre os vários cargos que já teve, desempenhou as funções de director do Metro do Porto; administrador dos transportes urbanos de Braga e professor do Instituto Politécnico do Cavado e Ave.


Segundo o responsável, os carros autónomos terão, um futuro próximo, “um impacto muito grande em outros sectores de actividade como os seguros, uma vez que os carros deixando de ter acidentes precisamente porque são autónomos e porque conseguem auto conduzir-se”.


O especialista na área da mobilidade apontou, ainda, para novas soluções que já estão a ser desenhadas para tornar mais sustentável a mobilidade nas cidades como é o caso dos autocarros eléctricos e da partilha de veículos nas deslocações dos cidadãos.


Ricardo Pimenta, director-geral da Caetano Auto Minho, deu a conhecer algumas das soluções inovadoras da Toyota e do Grupo Salvador Caetano em prol de uma mobilidade mais sustentável, dando a conhecer os seus veículos eléctricos, híbridos e os plug-in, “que são muito importantes por causa da redução das emissões”.


“Dispomos também de outros produtos financeiros que se alinham nesta lógica e em que a Toyota vai deixar de ser uma marca de produção de carros para ser uma empresa de mobilidade” indicou o responsável, apontando para a ‘Kinto’.


“A ‘Kinto’ é nova marca de mobilidade da Toyota que apresenta um conjunto de serviços associados como o ‘Kinto Flex’ - através do qual um cliente pode alugar um carro e, ao fim de algum tempo, trocar por outro em função das suas necessidades”, avançou. “Se um cliente vai viajar e não precisa do carro que tem, pode simplesmente trocá-lo por outro”, apontou, frisando que “há múltiplas modalidades de financiamento que permitem ao cliente, que não é dono do carro, pagar um serviço, que vai usufruindo em função do que precisa”.


Ricardo Pimenta apresentou ainda os autocarros a hidrogénio - um projecto que resulta da parceria do Grupo Salvador Caetano com a Toyota - e que já estão a ser comercializados em todo o país.


Quanto à disseminação dos carros eléctricos na sociedade em geral, o director-geral da Caetano Auto Minho indica que os preços deverão nos próximos anos com a massificação destes modelos mais amigos do ambiente, considerando, no entanto, que a maior dificuldade será mesmo a questão dos impostos e na forma como estes se poderão reflectir na baixa dos preços.

Deixa o teu comentário