Braga, quinta-feira

Viana do Castelo prevê 500 ME e mil empregos em 10 anos com economia do mar

Economia

27 Abril 2021

Lusa

O presidente da Câmara de Viana do Castelo estimou um investimento público e privado de 500 milhões de euros e a criação de mil postos de trabalho na próxima década com a agenda da economia do mar, hoje apresentada.

O socialista José Maria Costa, que falava em conferência de imprensa realizada por videoconferência para anunciar o início da elaboração da Agenda "Viana do Castelo-Retoma através do Mar", adiantou tratar-se de uma "previsão conservadora", tanto do montante de investimento como da criação de emprego, "mas realista".
 

"O que estamos a colocar em cima da mesa é um volume de investimento que é bastante conservador, atendendo não só ao investimento público, mas também ao desenvolvimento de projetos privados (…) ao número de postos de trabalho e de mão-de-obra qualificada (…). Estes são os nossos objetivos, mas podem acontecer desenvolvimentos. Não temos uma bola de cristal para adivinhar. Estou certo de que com a atratividade da região e a ligação fortíssima à Galiza podem aparecer novas oportunidades", afirmou José Maria Costa.
 

Segundo o autarca socialista, as áreas ligadas à economia do mar "estão sempre em aberto", que "sempre foram e continuarão a ser uma ambição e aposta" do concelho.
 

Realçou que o objetivo do município é "ter uma perspetiva conservadora e realista do que pode efetivamente acontecer".
 

Jorge Maria Costa apontou alguns exemplos como o "investimento no centro de inovação e valorização do território, um interface entre as universidades e as empresas, a ampliação da aposta nas energias renováveis oceânicas, na construção e reparação naval, pesca, na aquacultura, terminal de cruzeiros e desportos náuticos".
 

O autarca acrescentou que a Agenda "Viana do Castelo-Retoma através do Mar" vai ter "uma forte componente participativa e técnica para que o documento seja robusto".
 

"Queremos que sirva os interesses de Viana do Castelo, mas acima de tudo os interesses da economia do mar a nível nacional", reforçou.
 

Já o consultor Miguel Marques, da empresa Skipper&wool, responsável pela elaboração da estratégia da economia do mar, estimou que "em cerca de três meses" o documento esteja "não só escrito, mas acima de tudo validado pela comunidade marítima de Viana do Castelo".
 

Miguel Marques adiantou que "nas próximas duas semanas" será dado o "primeiro passo" na elaboração da estratégia com a "auscultação de 50 agentes da economia do mar que foram convocados para uma escuta estruturada".
 

O responsável disse que a agenda de Viana do Castelo que prevê a atração de 500 milhões de euros de investimento nacional e internacional, público e privado e a criação de mil postos de trabalho “esteja completamente alinhada com os desígnios nacionais e europeus".
 

"Viana do Castelo é o primeiro município a dar um passo em frente e a concretizar o que no terreno poderá querer significar a aposta no mar ao nível do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)", reforçou.

Deixa o teu comentário