Braga, sexta-feira

Vizela distribui material informático e acessos à Internet por alunos e professores

Regional

07 Fevereiro 2021

Lusa

A Câmara de Vizela entregou 400 tablets e computadores e uma centena de acessos à Internet aos alunos e professores do concelho de forma a garantir o ensino à distância previsto nas medidas de contingência associadas à covid-19.

Num comunicado divulgado, o executivo de Vizela, no distrito de Braga, dá conta de que iniciou a distribuição destes equipamentos para que alunos e professores “possam acompanhar as atividades letivas em casa durante o período de encerramento das escolas”.
 

“[O objetivo é] garantir o ensino à distância a todos os alunos durante a pandemia, promovendo a igualdade no acesso à educação”, lê-se na nota que especifica que esta entrega foi articulada com os Agrupamentos de Escolas do concelho, aos quais coube referenciar os alunos e depois entregar os equipamentos diretamente aos encarregados de educação.
 

A Câmara de Vizela acrescenta que vai também reativar o portal AECs Vizela, uma página de Internet criada para dinamizar de forma não presencial as aulas das atividades extracurriculares dos Agrupamentos de Escolas de Vizela e de Infias.
 

Somam-se o serviço de refeições em regime de ‘take-away’ dedicado a alunos carenciados e a articulação com os agrupamentos do acolhimento de crianças com idade igual ou inferior a 12 anos que sejam filhos de pais que trabalham em serviços essenciais.
 

No comunicado, a autarquia de Vizela garante, ainda, que “as atividades para crianças com necessidades educativas especiais que não serão interrompidas” e que assumirá a parte que caberia às Associações de Pais que eventualmente recorram ao ‘layoff’ o pagamento de funcionários aos trabalhadores.
 

Paralelamente, a câmara de Vizela anunciou também hoje que assinou protocolos com a Associação Comercial e Industrial local com vista a apoiar o comércio e a restauração do concelho e que está a criar uma plataforma ‘online’ para promoção e apoio ao comércio e restauração local que “irá permitir aos cidadãos o acesso a bens essenciais de forma rápida e segura ao mesmo tempo que ajuda os comerciantes locais a reinventar os seus modelos de negócios face à situação epidemiológica da covid-19”.
 

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.299.637 mortos resultantes de mais de 105 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.
 

Em Portugal, morreram 13.954 pessoas dos 761.906 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.
 

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Deixa o teu comentário